sexta-feira, 27 de maio de 2016

Amostragem de perdiz-vermelha uma ferramenta importante para a evolução das populações de Águia-de-Bolelli

A Associação Transumância e Natureza (ATN) procedeu, entre Fevereiro e Abril de 2016,  à primeira época de amostragem de perdiz-vermelha no âmbito do Projecto LIFE RUPIS - Conservação do Britango e da Águia-de-Bonelli no vale do Rio Douro. Este trabalho foi realizado em articulação com outros parceiros do projecto, nomeadamente a Associação Palombar e a Junta de Castilla Y Leon.
Monitorizar as espécies presa é importante, pois delas dependem muitas das espécies ameaçadas que queremos proteger e, se possível, incrementar nas áreas onde se está a actuar.

A análise inicial é também fundamental para obter dados no terreno antes de implementar medidas de gestão de habitat, pois só desta forma os técnicos conseguem perceber o seu impacto.
No âmbito do projecto LIFE "Club de Fincas para la Conservación del Oeste Ibérico", durante este período iniciou-se o segundo ano de amostragem, depois de se terem desenvolvido diferentes medidas de fomento das espécies presa, nomeadamente  sementeiras biodiversas e a instalação de
unidades de alimentação e abeberamento (comedouros e bebedouros) em colaboração com Zonas de Caça inseridas dentro da Zona de Protecção Especial do Vale do Côa (Rede Natura 2000).

A segunda época  de amostragem deste ano vai decorrer entre Julho e Agosto, para ambos os projectos, por isso fica aqui o convite a voluntários que se queiram juntar aos técnicos da ATN e desta forma conhecer  de perto a região e o trabalho desenvolvido para a promoção e conservação da Natureza.

Se deseja inscrever-se no programa de voluntariado  contacte-nos através do email geral@atnatureza.org


Visitar o site do projecto LIFE Rupis.

Saber mais sobre LIFE Club de Fincas.




quarta-feira, 25 de maio de 2016

Faia Brava Fest 2016
















O Faia Brava é um encontro de sócios e amigos  da Associação Transumância e Natureza que visa informar os sócios do trabalho desenvolvido e futuros projectos.

PROGRAMA

Sexta - Dia 10

12:00 Chegada dos participantes a Algodres, almoço de pizzas no forno comunitário com o apoio da Associação Aldeia Campestre
(o material dos participantes será levado até à Sabóia)

15:00 Partida em transportes para Cidadelhe, início do Trilho da Grande Rota do Vale do Côa até à Sabóia, acompanhado pelos estagiários Delo e Maxime a falar de borboletas e libelinhas

Chegada à Sabóia, montagem de tendas e descanso

20:00 Jantar na Sabóia

22:00 Actividade nocturna com Morcegos com Vanessa Mata

Sábado - Dia 11

7:00 Anilhagem de Aves com o apoio APAA ( Associação Portuguesa de Anilhadores de Aves)

11:00 Partida para a Ribeira do Mosteiro
Visita à Reserva da Ribeira do Mosteiro

14:00 Pic Nic no Trilho das Oliveiras Centenárias com Miguel Santos (ATN)

16:00 Apresentação da reserva, planos presentes/futuro por Pedro Prata (ATN)

Venha conhecer o trabalho que estamos a desenvolver para criar espaços para a Natureza

O programa é GRATUITO e exclusivo para sócios.

Inscrição obrigatória:
https://docs.google.com/forms/d/1qheAHwbp9TdkYE1EZv9f0TlUI1pMA9ktipHchF0FKq0/viewform?usp=send_form

Se deseja participar neste e noutros eventos destinados a sócios, o valor da quota anual é de 20€.
Proposta de admissão em http://www.atnatureza.org/index.php/apoiar

I WORKSHOP BUSHCRAFT

A Associação Transumância e Natureza, em parceria com a Rupestris e Rewilding Europe, organiza o I Workshop Bushcraft - Técnicas de Arte e Sobrevivência Contemporâneas em Espaço Natural, a realizar de 3 a 5 de Junho de 2016. O curso realiza-se no Porto de S. Miguel, Almeida. O curso inclui: Módulos teóricos e práticos e seguro de acidentes pessoais. Dia 3 - Sexta Encontro dos participantes ao final da tarde na Freineda, Almeida Montagem de acampamento Contextualização e conceitos de "Artes do Mato" Dia 4 e 5 - Sábado e Domingo Aplicação de conceitos e técnicas: Colheita e procura de alimento: plantas silvestres comestíveis Fabrico e manuseamento de ferramentas artesanais: armas, armadilhas e utensílios. Orientação sensorial Captação e purificação de água Realização de fogo: práticas comuns Construção de abrigo(s) Inscrições: https://docs.google.com/forms/d/18KXumBz8SzopPCnETZO-XWMlteaF0XKW5lQE2KZEdMU/viewform Para mais informações, por favor contacte: geral@atnatureza.org ou 271 311 202. O curso tem vagas limitadas e poderá ser cancelado se não houver o número mínimo de inscrições.

sexta-feira, 13 de maio de 2016

Levantamento de borboletas em novo Espaço Para a Natureza (EPN)

No sentido de ir ao encontro da missão de criar espaços para a natureza, a Associação Transumância e Natureza está neste momento a apoiar a gestão de um novo EPN em Freineda, Almeida.
Em colaboração com o gestor local, a ATN está a proceder ao levantamento dos valores naturais que possam estar ameaçados nesta área. Exemplo disso são os antigos trilhos, o bosque ribeirinho e as espécies de fauna e flora aqui existentes.
No sentido de reduzir o risco de incêndio, já foram efectuadas operações silvícolas e foram também introduzidos cavalos da raça Sorraia, uma espécie autóctone antiga que pelo seu número reduzido de indivíduos carece também de protecção. Pensa-se que esta espécie já existiu no território nacional em estado selvagem e seria conhecida por “zebros”.
Apesar de serem vistos e seguidos pelo olhar atento dos “zebros”, a saída de campo do grupo tinha como objectivo realizar um levantamento inicial de aves e borboletas diurnas.
O técnico de monitorização da ATN, acompanhado pelo gestor local e por três estagiários (de origem  holandesa e francesa), que estão em Portugal  para inventariar e monitorizar espécies de invertebrados em diversas áreas naturais ao longo do Vale do Côa e Douro, conseguiram realizar o trabalho de
inventariação e captar algumas imagens que são reveladoras da qualidade deste local que vale a pena conhecer.
Assim, foram inventariadas 19 espécies de borboletas com destaque para: Carcharodus alceae, Issoria lathonia, Melitaea deione, Lycanea bleusei (última foto) e Polyommatus semiargus, a
"Azulinha-do-bocage" (imagem da esquerda), esta com estatuto de conservação ameaçado em Portugal.
O trabalho de inventariação é importante para conhecer os valores naturais existentes num dado espaço ou local, neste sentido a partilha de conhecimento entre técnicos e estagiários, que chegam regularmente à região, é fundamental e tem contribuído significativamente para um acréscimo de conhecimento.
Se desejar saber mais sobre as Borboletas existentes em Portugal poderá consultar o sítio de internet da Associação TAGIS (http://www.tagis.pt), cujo trabalho tem sido de
destaque no que diz respeito ao conhecimento e protecção deste grupo de animais em Portugal.

Fotografias de : Eduardo Realinho

quarta-feira, 11 de maio de 2016

IX Edição do Curso de Identificação, Biologia e Conservação de Aves de Rapina


A Associação Transumância e Natureza, em parceria com a SPEA, o CERVAS e o ICNF, organiza a IX Edição do Curso de Identificação, Biologia e Conservação de Aves de Rapina, a realizar de 17 a 19 de Junho de 2016. 

O curso intensivo conta com a presença dos formadores Carlos Pacheco, Eduardo Realinho, Jorge Amaral, José Jambas e Ricardo Brandão. O programa realiza-se em Figueira de Castelo Rodrigo, no Parque Natural do Douro Internacional e no Parque Natural Arribes del Duero. Inclui módulos teóricos intensivos, três dias de observação no campo, actividades de chamamento de rapinas noturnas e uma visita à Reserva da Faia Brava.

Para mais informações e inscrições por favor contacte: geral@atnatureza.org ou 271 311 202

PROGRAMA do CURSO

Dia 1 | 17 Junho | 6ª feira

10:00 - 14:00 | Visita à Reserva da Faia Brava (opcional), incluindo as acções de gestão de habitat para aves rupícolas do projecto LIFE Club de Fincas | Eduardo Realinho
Ponto de encontro: Igreja da aldeia de Algodres
Almoço livre
14:30 | Encontro em FCR (Pavilhão dos Desportos), recepção de participantes

MÓDULO TEÓRICO | Introdução à identificação de aves de rapina
15:00 - 16:00 | Casos práticos de Identificação de Aves de Rapina do PNDI | Jorge Amaral
16:00 - 17:00 | Técnicas de Observação e Identificação de Aves de Rapina | José Jambas
17:00 - 17:30 | Pausa
17:30 - 18:00 | Apresentação Projecto Life - Rupis | Alice Gama
18:00 - 20:00 | Tempo livre
20:00 - 21:30 | Jantar (Restaurante Arco-íris)
21:30 - 22:30 | Variações na Plumagem e Determinação de Idade em Aves de Rapina | Carlos Pacheco

Dia 2 | 18 Junho | Sábado

9:00 - 13:00 | MÓDULO PRÁTICO | Aves de Rapinas de zonas agro-florestais
Ponto de encontro: Casa da Cultura
- Caminhada e percurso em autocarro Vilar Torpim - Vermiosa
- Barragem de Santa Maria de Aguiar
13:00 - 14:30 Almoço livre em Santo André
14:30 - 17:30 | MÓDULO PRÁTICO | Introdução ao estudo e monitorização de aves rupícolas
- Censo de Grifos nidificantes, Parque Natural do Douro Internacional (Santo André, rio Águeda)
- Prática de identificação de colónias, ninhos e determinação de idades de adultos e juvenis (formadores: José Jambas, Ricardo Brandão, Carlos Pacheco, Jorge Amaral)
17:30 - 18:30 | Transporte até Figueira de Castelo Rodrigo
19:00 - 20:00 | Tempo livre
20:00 - 21:00 | MÓDULO TEÓRICO | Identificação e Aves de Rapina Nocturnas | Ricardo Brandão
21:00 - 22:00 | Jantar
22:00 - 23:30 Rapinas nocturnas | Actividade de chamamento | Carlos Pacheco

Dia 3 | 19 Junho | Domingo

9:00 - 17:30 MÓDULO PRÁTICO | Identificação de Aves de Rapina e Conservação de aves rupícolas do P.N. Douro Internacional e P.N. Arribes del Duero
Ponto de encontro: Casa da Cultura (formadores: José Jambas, Carlos Pacheco, Eduardo Realinho, Jorge Amaral)
9:00 - 13:00 | Itinerário em autocarro com paragens em pontos-chave para observação de aves (Alto da Sapinha e Penedo Durão)
13:00 - 14:00 | Pausa livre para almoço (picnic no Penedo Durão)
14:00 - 15:00 | Transporte até Puerto de la Molinera (Lumbrales)
15:00 - 17:00 | Continuação de observação e identificação de rapinas
17:00 - 18:15 | Transporte até Figueira de Castelo Rodrigo
 

sexta-feira, 6 de maio de 2016

Visita Técnica de Escola Técnico-Profissional Holandesa (Helicon) ao Território de Figueira Castelo Rodrigo para conhecer o trabalho da ATN e os negócios verdes de Futuro

Durante uma semana, entre os dias 13 e 20 de Maio, o território de Figueira Castelo Rodrigo serviu de Escola Aberta para acolher uma turma de 8 alunos acompanhados por 2 professores do Curso de Biologia Aplicada de uma escola holandesa (Helicon Opleidingen). O objectivo desta visita de estudo foi conhecer a região e o trabalho que se está a desenvolver na criação e dinamização de espaços para a natureza, como é exemplo a Reserva da Faia Brava, e dos denominados, negócios verdes, ou seja, iniciativas empresariais que são compatíveis com a promoção da biodiversidade e o respeito pela natureza.
Os alunos tiveram a oportunidade de visitar e acompanhar o trabalho diário dos técnicos da Reserva da Faia Brava. Monitorizar as aves de rapina e as suas espécies presas é fundamental para perceber a evolução das populações, compreender e estudar a biodiversidade de uma charca é também muito importante para a dinâmica do ecossistema, pois a água e a sua qualidade constituem sem dúvida factores limitantes para vida de muitas espécies. Os trabalhos de limpeza da floresta, realizados pela equipa de campo, o auxílio das manadas de cavalos e vacas, que se encarregam de manter os pastos limpos são acções importantes para a consolidação da área florestal na Reserva. O envolvimento do Agrupamento de Escolas de Figueira de Castelo Rodrigo, em acções de reflorestação e plantação de árvores, é também relevante e por isso os alunos tiveram a oportunidade de visitar as instalações do novo viveiro florestal que está a ser criado no recinto da escola e que vai constituir-se como um autêntico laboratório vivo, bem como uma ferramenta de aproximação da comunidade escolar ao trabalho tão essencial de criar árvores para revitalizar a nossa floresta.
Para compreender a evolução da nossa paisagem, os alunos visitaram o Museu de Algodres, onde puderam observar diferentes equipamentos e ferramentas utilizadas no território em tempos em que o cereal dominava a paisagem. Agora, e por motivos de um Mercado cada vez mais globalizado, grande parte desse cereal é importado a baixo custo de outras regiões do globo, o que torna inviável a sua produção na nossa região, restando apenas algumas searas que servem sobretudo para alimentação de gado.

Então coloca-se a questão “Que tipo de negócios podem ser actualmente viáveis nesta região?

Para responder a esta pergunta os alunos que nos visitaram puderam contactar directamente com empreendedores locais que optaram por compatibilizar o seu negócio com uma visão moderna de promoção da biodiversidade e o respeito pela natureza. A visita a um produtor de azeite e amêndoa entre outros produtos em modo de Agricultura Biológica foi sem dúvida importante para compreender de que forma se pode concretizar uma agricultura com valor acrescentado, que promova a biodiversidade da exploração e zonas envolventes, como forma de obter melhor produção e qualidade dos produtos.
O ecoturismo, sector económico recente na nossa região e em desenvolvimento a nível nacional e mundial, tem crescido bastante, mostrando que existe um mercado cada vez mais exigente, com turistas que procuram experiências autênticas em locais mais reservados, onde possam encontrar uma comunhão perfeita entre um ambiente saudável e preservado e uma dinâmica de serviços e produtos de grande qualidade. Para comprovar que a região é sem dúvida um território de excelência para o desenvolvimento de estruturas destinadas a este sector de turismo, os alunos tiveram a oportunidade de conhecer empreendedores que se dedicam a esta actividade e também conhecer o Star Camp, um acampamento com muito glamour no coração da Reserva da Faia Brava, que alia o conforto de uma estrutura simples, mas requintada, a uma experiência única de dormir sob as estrelas, no coração de uma área natural.
A capacidade de envolver grupos de jovens de outros países da Europa tem sido notável por parte da Associação Transumância e Natureza. E a prova-lo está o acolhimento de mais dois jovens estagiários holandeses, Delo Wolters e Maxime Parmentier, que integram a equipa da Associação e estarão na região até meados de Julho, a acompanhar os trabalhos de conservação e a realizar os seus estágios.
As visitas de estudo e estágios que se têm realizado quase de uma forma contínua constituem também uma forma de dinamizar a economia local. Mas o mais importante é que estes jovens tenham experiências realmente valiosas e inspiradoras, que possam partilhar com colegas de escola, professores, amigos e família, criando desta forma uma rede de interessados em visitar e conhecer e quem sabe viver e investir nesta região.

Criar espaços para a natureza constitui a missão da Associação Transumância e Natureza, mas é com imenso prazer que vemos crescer esta rede de pessoas e amigos que cada vez mais procura o nosso território para desenvolver os seus projectos. Esta partilha entre alunos, professores e agentes locais é importante para inspirar os nossos jovens a acreditar no valor da sua terra e no desenvolvimento sustentável.

Photo by : Pieter Baalbergen