segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

Actividade 1 milhão de árvores
Outono/Inverno 2008-2009

Antecedentes
A Reserva Biológica da Faia Brava, gerida pela Associação Transumância e Natureza (ATN), sofreu com um incêndio devastador no Verão de 2003, que afectou profundamente a biodiversidade local. A ATN tem desenvolvido desde então um projecto de reflorestação e protecção florestal.

Acções desenvolvidas desde 2003
- plantação de árvores – cerca de 15000 exemplares de espécies autóctones;
- desmatações e desramações em zonas estratégicas
- silvo-pastorícia
- vigilância contra fogos
- abertura de pontos de água
- sensibilização da população

Prioridades futuras da ATN em termos florestas
- recuperação de galerias ripicolas
- diversificação de espécies florestais – sobretudo folhosas
- reconstituição da “Silva” (floresta-woodland) autóctone

Objectivos
- proceder à plantação de 1 000 000 sementes numa área de 615,8 hectares entre 2008 e 2013
Metodologia

PLANTAÇÃO DE SEMENTES
- furar o solo e alargar buraco com utilização de “ferro semeador”
- colocação de várias sementes no buraco ( 3 – 5) (sementes de Quercus a 25 cm, outras sementes mais pequenas a 10 cm)
- alternar espécies por buracos (trazer 2 a 3 sacos de diferentes espécies)
- escolher local e compasso aleatoriamente
- em zonas desflorestadas o compasso pode ser de metro a metro
- evitar superfícies rochosas aplanadas
- plantar em fendas rochosas
- numa hora podem fazer-se 40 buracos


OUTRAS ACTIVIDADES
- recolha de sementes
- plantação de árvores ao longo de linhas de água com enxada
- plantação em viveiro
Campanha
Adopção de um garrano
uma raça nacional em vias de extinção a conservar uma paisagem florestal ameaçada
Reserva da Faia Brava -Vale do Rio Côa



Enquadramento

Na Reserva da Faia Brava – Vale do Côa, uma das prioridades de conservação da natureza corresponde à recuperação do bosque autóctone mediterrâneo, dominado nesta área por sobreiros, azinheiras e carvalhos cerquinhos. Nesse sentido a Associação Transumância e Natureza - ATN deu inicio, em 2005, à criação em regime extensivo de cavalos da raça Garrana, num cercado de 10 hectares dentro da Reserva da Faia Brava, que designámos de projecto GARRANAS DA FAIA BRAVA.

Esta experiência de silvo-pastorícia obteve resultados positivos, com a formação natural de clareiras e a manutenção e redução de plantas arbustivas, e consequentemente diminui o risco de incêndio das áreas florestais da Faia Brava.

Esta intervenção favorece ainda a biodiversidade, ao manter um conjunto de diferentes nichos ecológicos, que são favoráveis à existência de mais espécies de aves, pequenos mamíferos, répteis, plantas anuais (ex: orquídeas) e cogumelos.

Mais informação em www.ATNatureza.orgVerificou-se ainda que o uso de garranos não compromete a regeneração das pequenas árvores que temos vindo plantar, e a presença destes herbívoros melhora a composição e fertilidade do solo.



Objectivos da campanha

Devido ao sucesso inicial deste projecto pretendemos agora constituir uma manada de 30 garranos, a viver em estado silvestre, dentro da Reserva da Faia Brava, no Vale do Côa. São objectivos dessa acção::

- a redução do risco de incêndio e valorização ecológica do bosque mediterrânico (sobreiral, azinhal e carvalhal), de forma sustentável e sem intervenção humana directa;

- o aumento da diversidade biológica desse espaço, criação de condições de habitat para a fauna e flora silvestres;

- um contributo para conservar uma raça portuguesa autóctone concedendo-lhe uma utilidade;

- a utilização do garrano como animal de apoio às acções de vista à Reserva da Faia Brava (apenas 3 animais)

- protecção e enriquecimento dos solos;


Modalidades de apoio

A ATN é uma associação sem fins lucrativos que não recebe apoio estatal e precisa assim do apoio de mecenas e apoiantes a título individual. O seu apoio é muito necessário para este projecto. Há duas modalidades possíveis



- ADOPÇÃO VITALICIA – Custo 100 €

Através desta modalidade a ATN adquire um novo garrano jovem, e integra-o na manada da Faia Brava. O poldro adquirido fica exclusivamente e definitivamente em nome de quem adopta, com a condição de ser cedido à ATN por um período mínimo de 5 anos, durante o qual fica totalmente a cargo da ATN. Findo esse período o acordo é renovado automaticamente por novo período de 5 anos e assim sucessivamente, sem quaisquer outros encargos para a pessoa que o adoptou. No entanto, fica sempre salvaguardada a possibilidade do proprietário retirar o garrano do projecto, desde que informe a ATN da intenção de cessação do contracto.

Direitos de quem adopta: certificado de posse e adopção, t-shirt da associação, inscrição como sócio, 1 visita guiada (anual) à Reserva da faia Brava



- ADOPÇÃO TEMPORÁRIA (1 ANO) – Custo 50 €

Nesta modalidade, a pessoa apadrinha um dos animais já existentes na exploração e contribui para a sua manutenção e ampliação do projecto em termos de área.

Os animais disponíveis para esta modalidade de adopção são os seguintes:
Passeio guiado à Faia Brava- 24 janeiro de 2009

A Associação Transumância e Natureza convida-o a participar e a divulgar a actividade que irá realizar-se no próximo dia 26 de Janeiro. A informação referente ao percurso encontra-se no anexo. Com os melhores cumprimentos,Filipa Viegas


A Reserva da Faia Brava é um projecto desenvolvido pela ATN, pioneiro a nível nacional. Em breve, esta reserva ambiciona ser uma das primeiras áreas protegidas de âmbito privado em Portugal, objectivo que tem levado a ATN a desenvolver projectos de conservação da natureza. Convidamo-la/o neste percurso pedestre a visitar a reserva, conhecer e participar nos nossos projectos. Visite um alimentador de abutres, passeie junto dos nossos garranos no projecto de silvo-pastorícia, deslumbre-se com os pombais tradicionais, descanse junto dos nossos pomares e participe no projecto 1 Milhão de Sementes para o Vale do Côa, plantando uma árvore. Venha aprender como cada uma destas acções apoia a conservação do mosaico agro-florestal típico da região, uma paisagem única, essencial para a preservar a biodiversidade das terras de Riba-Côa.Programa do percurso:

A visita começa às 9h00, em frente da igreja da aldeia de Algodres, e tem a duração aproximada de 8 horas, com várias pausas e um merecido descanso e almoço nas Hortas da Sabóia (futuro centro de recepção a visitantes). A partir de Algodres, seguiremos até à entrada da Reserva da Faia Brava, percorrendo parte da mancha de sobreiral mais extensa do distrito da Guarda. Dentro da reserva, poderá observar alguns resultados da campanha de reflorestação que tem sido levada a cabo desde 2004, visitar um magnifico pombal tradicional recuperado, contemplar as margens do rio Côa e visitar o campo de alimentação de aves necrófagas. Durante o almoço, nas Hortas da Sabóia, poderá visitar o nosso viveiro florestal, onde são produzidas as árvores autóctones da região e interagir com os garranos mais jovens da Faia Brava. Depois do almoço, cada visitante plantará uma árvore, deixando um contributo importante para recuperação do bosque da Faia Brava. No regresso a Algodres, terá a oportunidade de conhecer um olival tradicional, de produção biológica, que dá origem ao azeite de qualidade superior Faia Brava, marca própria da ATN. produzido para a campanha Faia Brava. Chegada a Algodres às 17.00h. Dificuldade: Média. Distância: 8 kmPreço e o que inclui:Actividade gratuita para sócios da ATN. 9 euros para não sócios. Inclui seguro de acidentes pessoais, visita guiada por técnico da ATN, material para observação de aves (binóculos, telescópio), árvore para plantação.*Notas: almoço de campo não incluído. Por favor, consulte a ATN em relação à possibilidade de incluir um almoço de campo. Em caso de mau tempo a visita será adiada para data a combinar com os participantes. Para usufruir de seguro, é indispensável o envio da ficha de inscrição e comprovativo de pagamento até 2 dias antes da actividade

ACÇÕES DE REFLORESTAÇÃO INVERNO 2009

Reserva da Faia Brava, Algodres, Figueira de Castelo Rodrigo (Rio Côa)
Fim-de-semana de 6, 7 e 8 de Fevereiro de 09
Fim-de-semana de 27, 28 de Fevereiro e 1 Março de 09

O Colectivo Germinal e a Associação Transumância e Natureza organizam duas acções de reflorestação nas margens do rio Côa, no Concelho de Figueira de Castelo Rodrigo. O objectivo primeiro é o repovoamento de áreas ardidas e agrícolas abandonadas, promovendo assim a recuperação destes ecossistemas. Haverá também a manutenção de um viveiro florestal e a recolha de sementes.

As árvores utilizadas para os repovoamentos são autóctones, como carvalhos (sobreiros, azinheiras, roble, etc.) e freixos, entre outras. As áreas intervencionadas são propriedade da Associação Transumância e Natureza, estando portanto protegidas. Toda a área está inserida num projecto de criação de uma futura reserva natural. Estas acções têm por objectivo criar as condições necessárias para a recuperação de um ecossistema natural, onde espécies da fauna e flora autóctones possam sobreviver e prosperar.

Os acampamentos de voluntários realizam-se de Sexta a Domingo, sendo a Sexta-feira para recepção dos participantes. O ponto de encontro é junto à Câmara Municipal de Figueira de Castelo Rodrigo. A partir daqui asseguramos transporte até ao local do Acampamento e regresso. Durante os três dias da reflorestação garantimos refeições veganas/vegetarianas confeccionadas no acampamento (Pequeno-almoço, Almoço e Jantar).

Necessitas trazer tenda, saco-cama, o teu próprio prato, copo e talher, lanterna, termo, impermeável e roupa quente, botas ou galochas, instrumentos musicais, alegria e boas vibrações!!

Inscrições
Envia um e-mail para colectivogerminal@hotmail.com indicando o fim-de-semana em que pretendes participar, mais nome e telefone e aguarda a nossa confirmação. A Inscrição tem um valor de 3€ a pagar aquando da chegada ao local de acampamento.

Se não podes ou não queres participar nestas acções mas pretendes ser informado de próximas actividades, envia-nos um e-mail com teu contacto.