segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

O gosto da Biodiversidade - A conservação da natureza pela alimentação

“O gosto da biodiversidade” é um projecto que se insere na lógica de crescimento da associação e visa fazer chegar aos centros urbanos informação sobre a Faia Brava e os valores de conservação que contém, através da explicitação da relação entre os hábitos de consumo alimentar e a conservação da natureza.
O projecto tem como objectivo tornar visível, a relação entre o consumo de alimentos e a gestão do território.
O instrumento usado é a realização de workshops gastronómicos assentes nos produtos da FAIA BRAVA e região envolvente, dirigidos ao grande público.
A linha de força é a valorização de sub-produtos da conservação, isto é, o que se pretende não é, por exemplo, valorizar o centeio por si, como é corrente em projectos estritamente orientados para o desenvolvimento local. O que se pretende é valorizar a produção de centeio que é feita por razões de conservação.
Pretende-se que a cozinha de autor com base em produtos tradicionais valorize simultaneamente a tradição culinária da região e a inovação. Será procurado tanto o uso de variedade regionais de produtos agrícolas, como o uso de espécies silvestres (o gelado de poejo, desenvolvido noutro contexto pelo parceiro do projecto Chef António Alexandre, pode ser um bom exemplo para outras criações culinárias).
Embora o projecto use a relação entre o consumo de alimentos e a biodiversidade como trave mestra, os grandes consensos quanto ao consumo sustentável na alimentação estarão presentes: a proximidade relativa entre produção e consumo, o uso de produtos de época, a moderação do consumo de carne e peixe e o uso de produtos pouco processados industrialmente, nomeadamente sem longos períodos de conservação pelo frio.
O Chef António Alexandre propõe-se ainda a transformar determinados sub-produtos da região de modo a torná-los mais apetecíveis aos consumidores, desenvolvendo, em parceria com a ATN, não só uma forma de rentabilizar os meios existentes como também promover a sustentabilidade da mesma através da criação de valor.
Estas oficinas de cozinha são concebidas de forma a serem nutricionalmente equilibradas e adequadas às diferentes necessidades das crianças e jovens.


Nos dias 26, 27 e 28 de Fevereiro, a ATN e o chef António Alexandre estarão presentes no Cascais Shopping com um stand onde se realizará um live cooking e provas, que se farão entre as 18h e as 20h na sexta-feira e entre as 15h e as 17h no sábado e domingo.

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

1 milhão de sementes para o Vale do Côa

O Colectivo Germinal e a Associação Transumância e Natureza organizam mais uma vez para este Inverno acções de reflorestação nas margens do rio Côa, no Concelho de Figueira de Castelo Rodrigo. Decorrerão nos fins de semana de 26 a 28 de Fevereiro e 12 a 14 de Março.

Os acampamentos de voluntários realizam-se de Sexta a Domingo. Neles vai ser dado continuação ao trabalho de recuperação do coberto vegetal da Reserva Biológica da Faia Brava, propriedade da ATN, com o repovoamento em áreas ardidas e terrenos agrícolas abandonados, promovendo assim a recuperação dos ecossistemas. Haverá também trabalhos de manutenção de um viveiro florestal e a recolha de sementes.

As árvores utilizadas para os repovoamentos são autóctones, como carvalhos (sobreiros, azinheiras, roble, etc.) e freixos, entre outras, muitas delas criadas nos próprios viveiros da Reserva. Estas acções, que tiveram início em 2005, têm por objectivo criar as condições necessárias para a recuperação da floresta autóctone, recriando as condições para o desenvolvimento da fauna e flora nativas.

Pedidos de informação e inscrições podem ser dirigidos para colectivogerminal@hotmail, bem como pode ser visitado o blog infogerminal.blogspot.com para mais informações.

sábado, 13 de fevereiro de 2010

Feria Internacional de Turismo Ornitológico – Extremadura Birdwatching Fair

A não perder - em Villarreal de San Carlos. Parque Natural de Monfrague

26 a 28 de Fevereiro

http://www.fioextremadura.es/actividades.shtml


Há água na Faia Brava!

E não é só no Côa que há água este ano. Depois de quase 3 anos de seca, as chuvas vieram e literalmente encharcaram a  Faia Brava. A água corre até pelos caminhos, engorda charcas, poços e ribeiros. Os garranos agradecem pois à conta da água a erva está à espreita, esperando que uns dias de sol a façam crescer. A água é uma dávida apesar de um ou outro "atascanço" (aculpa não foi da água foi do condutor....).



sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

O Côa - a razão das "faias" serem bravias

Este ano em Fevereiro, o Côa corre como há muito não acontecia! Entre fragas ("faias") e penedias abruptas, vai fazendo o seu percurso à pressa, enquanto nas suas águas cristalinas nadam tranquilos o barbo, a boga, a lontra, entre outros..... É o quotidiano daquele que é um dos últimos rios bravios do nosso país, o nosso Côa.


 
  
 

domingo, 7 de fevereiro de 2010

Novos estágios da UA na Faia Brava

Estudo do funcionamento e da importância dos alimentadores artificiais para as aves necrófagas

Eduardo Realinho (Curso: Licenciatura em Biologia - Universidade de Aveiro)
Tendo por objectivo ajudar um das espécies de aves mais ameaçada a nível nacional, o Abutre do Egipto, aumentando os recursos alimentares disponíveis, este estágio pretende avaliar a importância da alimentação artificial para estas aves. Como alimento a fornecer serão utilizados essencialmente ossos – subprodutos provenientes da comercialização de animais para consumo humano, que serão obtidos em talhos. Este alimento será depositado em diferentes locais dentro da Reserva da Faia Brava e, visto que se trata de uma espécie bastante territorial, os locais escolhidos para deposição do alimento nunca distarão muito das zonas onde nidificam os casais de Abutre do Egipto, ficando assim assegurado o uso dos pontos de alimentação pelo maior número possível destas aves.
Para observação do comportamento e dos resultados, estão a ser preparados pequenos observatórios junto dos pontos de alimentação.

Apesar de direccionado para o Abutre do Egipto, todas as espécies de aves e indivíduos que tirarem proveito do alimento fornecido serão registados.
No final, espera-se, com a análise dos dados obtidos, poder afirmar-se quais as melhores estratégias a seguir para garantir o devido suplemento alimentar para esta espécie em particular.

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

O Inverno na Faia Brava...

Um pouco fora do habitual, ainda durante o ano passado, por altura do Natal, a neve chegou com muita vontade aos terrenos da Faia Brava e, por umas horas, fez-nos esquecer as altas temperaturas do Verão.
Os garranos, esses, já estão mais habituados a este tipo de clima...