terça-feira, 26 de abril de 2011

Já estão a nascer.......


















O Viveiro da Faia Brava está a encher-se de cor verde. São as jovens plantinhas que irão estar prontas a plantar no próximo Outono/Inverno.

Deixamos já o desafio/convite para participarem nas plantações, ou mesmo, durante o verão, regarem o viveiro ou fazerem vigilância na reserva.

A Reserva precisa do apoio de todos.

domingo, 24 de abril de 2011

Boa Páscoa

Boa Páscoa  para todos os sócios, colaboradores e visitantes, que têm apoiado o projecto Faia Brava.


Conhecer a biodiversidade da Faia Brava



Decorreu esta Sexta-Feira mais uma actividade na Reserva da Faia Brava. O grande objectivo foi observar e identificar toda a biodiversidade. Foram identificadas cerca de 30 espécies de aves, das quais se destacam as emblemáticas Águia-real, Abutre do Egipto e Andorinhão-real, 4 espécies de anfíbios, 1 espécie de réptil, 2 espécies de mamíferos e inúmeras espécies de insectos, aracnídeos e flora. Todas formam uma bela amostra da imensa biodiversidade presente na Faia Brava. Todas as espécies identificadas foram registadas no site www.biodiversity4all.com como parte da parceria nesta actividade.
Não se esqueça, se quiser testemunhar toda esta diversidade de vida, uma actividade muito similar irá decorrer no próximo dia 22 de Maio, no âmbito da celebração do Dia Internacional da Biodiversidade. Saiba mais aqui:

sexta-feira, 22 de abril de 2011

Workshop de Iniciação à Botânica na Faia Brava

Recorte do Jornal A Guarda, workshop que  vai acontecer nos dias 28 e 29 de Maio.

Dia Internacional da Biodiversidade na Faia Brava no dia 22/05/2011


Britango (Erik).JPGNo âmbito do Dia Internacional da Biodiversidade, a ATN promove uma saída de campo à Faia Brava para observação e registo da sua biodiversidade, colaborando com as plataformas de biodiversidade online Biodiversity4ALL e Naturdata.
Características do percurso: 8 km de percurso circular, a pé.
Ponto de Encontro: 10h – Igreja de Algodres. Os participantes devem levar a sua viatura até Algodres, local onde se inicia o percurso.
O que trazer? Botas de montanha ou calçado desportivo, roupa confortável (de preferência em tons neutros), chapéu, protector solar, almoço-volante e água, máquina fotográfica, binóculos.
Preço: 12,5€/pax. Inclui o acompanhamento por guia e seguro de acidentes pessoais. 6 a 15 participantes.





quarta-feira, 20 de abril de 2011

Já conhece a Grande Rota do Vale do Côa

Ontem saiu uma noticia sobre a Grande Rota do Vale do Côa no jornal Público, publicada aqui.

Se ainda não conhece este maravilhoso percurso, não perca a oportunidade participar numa caminhada de Cidadelhe a Algodres. Mais informação disponível aqui.

Na pagina da ATN pode descarregar o ficheiro para usar no GPS, ou então passar pelos postos de turismo da região e pedir um folheto com mapa. Caso precise de ajuda para a logística, contacte-nos.

Agora que o tempo está bom, aproveite para passear e apreciar as bonitas paisagens do Vale do Côa.



Programa Aves & Gravuras, da Birds & Nature dias 14/05/2011 e 15/05/2011



O Programa Aves & Gravuras foi concebido pela Birds & Nature em parceria com a Associação Transumância e Natureza (ATN) e concilia, ao longo de um fim de semana de uma altura do ano particularmente interessante, a Primavera, a actividade de observação de aves (em 2 locais de grande interesse avifaunístico – a Reserva da Faia Brava e o Parque Natural do Douro Internacional), com a observação de arte rupestre do Vale do Côa (2 visitas em 2 núcleos – Penascosa e Ribeira dos Piscos – no Parque Arqueológico do Vale do Côa).

Preço
O preço inclui: acompanhamento permanente de guia da Birds & Nature e de guia da ATN, visita à Reserva da Faia Brava incluíndo a utilização do abrigo fotográfico do alimentador de abutres, duas visitas guiadas no PAVC, jantar “Ceia Paleolítica” no sábado, utilização de material óptico de qualidade (binóculos e telescópios) e seguro de acidentes pessoais.

Não inclui: alojamento, almoços, transporte (excepto nas visitas à Reserva da Faia Brava e ao PAVC) e outras despesas de carácter pessoal.

Para inscrições ou mais informações, contactar:
Birds & Nature (booking@birds.pt tel: 913 299 990).

terça-feira, 19 de abril de 2011

O Bufo-Real Bubo bubo nidifica na Faia Brava


Os afloramentos rochosos da Faia Brava desempenham um forte componente na reprodução das muitas espécies de aves rupícolas que aqui nidificam pois oferecem a protecção e o sossego necessário para que estas levem a bom termo o desenvolvimento das suas crias.
Este ano trouxe uma maravilhosa surpresa, ou melhor dizendo, descoberta. A presença através de registos auditivos já há muito que é conhecida, no entanto, descobrir efectivamente o local de nidificação de um bufo-real Bubo bubo é coisa rara e fruto, pode-se dizer, do acaso pois estes podem ser ouvidos a vários quilómetros de distância. A sua observação então é tarefa quase impossível até para quem os estuda devido ao seu comportamento maioritariamente nocturno.
Esta espécie conhecida por ser, entre as grandes rapinas europeias, a mais especializada na predação de coelho, prefere os juvenis e sub-adultos, evitando a captura de coelhos adultos durante todo o ano. Produz ninhadas de 2-5 crias com um crescimento notável e realizam o seu primeiro voo por volta dos 50 dias.
 Desta forma vai ser possível observar o crescimento destes seres, sempre com as cautelas necessárias de forma a não perturbar o seu desenvolvimento e disfrutar de mais um pouco do que a Faia Brava tem para oferecer.




Saída de campo “Aves Rupícolas da Faia Brava” – SPEA & ATN dia 08/05/2011

Fotografia de João Cosme
Venha observar as aves rupícolas da Área Protegida Privada da Faia Brava, na ZPE do Vale do Côa, das quais destacamos a Águia-real, a Águia de Bonelli, o Abutre do Egipto, o Grifo e a Cegonha-preta. Fique ainda a conhecer o projecto de conservação que a ATN tem vindo a desenvolver na região para a conservação destas espécies.
Abordagem à ecologia e biologia destas espécies e à sua situação no Vale do Côa. Sensibilização dos participantes para a importância destas aves e alerta para as ameaças que afectam a sobrevivência destas espécies.
Características do percurso: 10km de percurso circular, a pé.
Ponto de Encontro: 9h – Igreja de Algodres. Os participantes devem levar a sua viatura até Algodres, local onde se inicia o percurso.
O que trazer? Botas de montanha ou calçado desportivo, roupa confortável (de preferência em tons neutros), chapéu, protector solar, farnel (para o almoço e jantar) e água, máquina fotográfica, binóculos.
Preço: 5€/pax. Inclui o acompanhamento por guia local. A organização ainda disponibiliza alguns pares de binóculos e um telescópio.
De 6 a 15 participantes 

Travessia da Reserva da Faia Brava – Percurso Pedestre dia 01/05/2011

O Vale do Côa, a braveza das suas vertentes e da fauna que abriga, será quase sempre o mote deste percurso. Atravessamos a Reserva da Faia Brava de Sul para Norte, adentrando-nos na sua beleza selvagem e sob o olhar constante e atento dos abutres e águias que planam alto no céu. Podemos ainda apreciar a manada de Garranos semi-selvagens que percorrem a região, os sobreirais que ainda subsistem e que caracterizam a paisagem do Riba-Côa.

Com início em Cidadelhe e final em Algodres, trata-se de um percurso diversificado, variando entre o asfalto (2km), caminho rural e trilho, e com paisagens imponentes.

Características do percurso: 15km de percurso linear, a pé.
Ponto de Encontro: 9h30 – Igreja de Algodres. Os participantes devem levar a sua viatura até Algodres, local onde termina o percurso. A partir daqui faremos o transfer dos participantes até à aldeia de Cidadelhe.
O que trazer? Botas de montanha ou calçado desportivo, roupa confortável (de preferência em tons neutros), chapéu, protector solar, almoço-volante e água, máquina fotográfica, binóculos.
Preço: 10€/pax
Inclui o acompanhamento por guia local e seguro de acidentes pessoais.
De 6 a 15 participantes

segunda-feira, 18 de abril de 2011

Próxima actividade Conhecer a Biodiversidade da Faia Brava – Dia Mundial da Terra 22

No âmbito do Dia Mundial da Terra, a ATN promove uma saída de campo à Faia Brava para mostrar e registar a sua biodiversidade.
Características do percurso: 8 km de percurso circular, a pé.
Ponto de Encontro: 10h – Igreja de Algodres. Os participantes devem levar a sua viatura até Algodres, local onde se inicia o percurso.
O que trazer? Botas de montanha ou calçado desportivo, roupa confortável (de preferência em tons neutros), chapéu, protector solar, almoço-volante e água, máquina fotográfica, binóculos.
Preço: 12,5€/pax. Inclui o acompanhamento por guia local e seguro de acidentes pessoais. 6 a 15 participantes.


domingo, 17 de abril de 2011

Mais uma actividade realizada na Faia Brava

No sábado havia uma actividade marcada em conjunto com o Núcleo da Quercus da Guarda, actividade sobre a floresta do concelho de Figueira de Castelo Rodrigo para comemorar o ano internacional das floresta, iniciou se em Algodres,  e foi entrando pela maior mancha de sobreiros do distrito da Guarda, para dar a conhecer esta beleza e sensibilizar os participantes para a importância deste  tipo de habitats.

Fica algumas fotos para mais tarde recordar, para os que não puderam vir aproveitem as próximas actividades ver aqui.
























sexta-feira, 15 de abril de 2011

Como fazer para visitar a Faia Brava ! (informação está online)

Com algum atraso, sobre o qual pedimos desculpa, já está disponível na página da ATN (www.ATNatureza.org) a informação sobre os serviços de visitas guiadas (para sócios) que podemos prestar e o respectivo preçário.
A estratégia de visitação da Faia Brava foi elaborada no sentido de angariar apoios e fundos para o projecto de conservação da natureza.



Foto de Hugo Sousa Marques













Numa visita personalizada à Reserva da Faia Brava, a equipa da ATN apresentar-lhe-á pessoalmente os projectos BOSQUES, GARRANOS, AVES RUPÍCOLAS e POMARES. Durante esta visita os técnicos da associação mostrar-lhe-ão locais marcantes, com paisagens magníficas de escarpas, veredas, lameiros e linhas de água, com cores diferentes, consoante a estação do ano. Sobre as fragas do Côa terá também a oportunidade de observar aves emblemáticas, como o grifo ou a águia-real. Com alguma sorte poderá também descobrir algumas aves ameaçadas, como a águia de bonelli, o abutre do egipto e a tímida cegonha-preta.


Outros pontos de interesse deste percurso são elementos do património arquitectónico local: os pombais tradicionais, casebres tradicionais e caminhos estreitos ladeados por muros de pedra.

Convide os seus amigos, família ou os seus colaboradores e venha passar um dia inesquecível no vale do Côa!

O dia dos insectos ! Dia 2 de Abril

Já passou, foi óptimo e merece ser registado no Blog...







Agradecimentos à malta do FAPAS que nos veio visitar e um Obrigado especial ao José Manuel Grosso, grandíssimo entomologista (também o é em altura). Voltem sempre!


Nota: a foto da borboleta (rara) é do Frans Schepers.

quinta-feira, 14 de abril de 2011

Intercambio ATN-FNYH 2º dia - Reserva Biológica de Campanários
















Um dia cheio de sol e de sorrisos!

Visitem Campanários e vão perceber porquê.

AVES&GRAVURAS - Visita à Reserva da Faia Brava, P. N. do Douro Internacional e Parque Arqueológico do Vale do Côa, com a Birds & Nature


Actividade com a Birds and Nature


Visita à Reserva da Faia Brava, P. N. do Douro Internacional e Parque Arqueológico do Vale do Côa (Programa Aves & Gravuras), com a Birds & Nature


Fim de semana de 14 e 15 de Maio de 2011

Partida de Lisboa – 07,00 h de dia 14 (sábado)

Regresso a Lisboa – 17,30 h de dia 15 (domingo). Chegada prevista pelas 23,30 h

O Programa Aves & Gravuras foi concebido pela Birds & Nature, em parceria com a Associação Transumância e Natureza (ATN), e concilia, ao longo de um fim de semana de uma altura do ano particularmente interessante, a Primavera, a actividade de observação de aves (em dois locais de grande interesse avifaunístico – a Reserva da Faia Brava e o Parque Natural do Douro Internacional), com a observação de arte rupestre do Vale do Côa (duas visitas em dois núcleos – Penascosa e Ribeira dos Piscos – no Parque Arqueológico do Vale do Côa).

A Reserva da Faia Brava e as áreas do Parque Natural do Douro Internacional visitadas neste programa, representam locais de grande beleza e interesse avifaunístico. Estimamos observar numerosas espécies de aves, algumas das quais particularmente raras e localizadas, como por exemplo: a Cegonha-preta, o Grifo, o Abutre-preto, o Abutre do Egipto, a Águia-real, a Águia de Bonelli, a Águia-calçada, a Águia-cobreira, o Milhafre-real, o Milhafre-preto, o Falcão-peregrino, o Bufo-real, o Mocho-de-orelhas, o Andorinhão-real, o Chasco-preto, o Melro-azul, a Toutinegra-real, a Toutinegra-de-bigodes, a Gralha-de-bico-vermelho e a Cia.

A Reserva da Faia Brava, no Vale do Côa (freguesia de Algodres, concelho de Figueira de Castelo Rodrigo), tem sido o núcleo no qual a ATN tem investido a maior parte dos seus recursos e esforços, por forma a criar um modelo de gestão sustentável, para a futura expansão do projecto. Esta reserva engloba um dos núcleos nacionais mais importantes de aves rupícolas e abrange parte da mancha de sobreiros mais extensa do distrito da Guarda.

O Parque Arqueológico do Vale do Côa (PAVC) é um organismo público, dependente do Instituto Português de Arqueologia, que tem por função gerir, proteger, musealizar e organizar para visita pública a arte rupestre do Vale do Côa, classificada como Monumento Nacional em 1997 e como Património da Humanidade em 1998. Assim, uma das actividades do PAVC consiste na organização de visitas aos três principais núcleos de arte rupestre: Penascosa, Canada do Inferno e Ribeira de Piscos. As visitas são efectuadas em viaturas todo-o-terreno do Parque e acompanhadas por um guia especializado.


Núcleos de gravuras incluídos no programa:

1) Penascosa – Castelo Melhor

Local de partida: Centro de Recepção de Castelo Melhor. Duração da visita: cerca de 01,30 h.

Trata-se de um dos maiores núcleos de arte rupestre do Vale do Côa, com cerca de 22 rochas gravadas com motivos paleolíticos. Estão aqui representadas as principais técnicas de gravação paleolítica (incisão filiforme, picotagem e abrasão), bem como os seus principais motivos (equídeos, bovinos, caprinos e cervídeos).

A visita nocturna a este núcleo permite-nos uma perspectiva e abordagens diferentes das gravuras já que, à luz da lanterna, é possível uma maior percepção da arte gravada na rocha, comparativamente com a luz do dia.

2) Ribeira dos Piscos – Muxagata

Local de partida: Centro de Recepção da Muxagata. Duração da visita: cerca de 02,30 h.

Apesar da dificuldade de acesso, trata-se de um dos mais interessantes núcleos de arte do Vale do Côa, pela qualidade das suas gravuras. De entre elas salientam-se os cavalos enlaçados e o “Homem de Piscos”, uma das únicas figurações humanas paleolíticas do vale.

A visita a este núcleo compreende uma pequena caminhada ao longo da ribeira que, nesta altura do ano, é particularmente interessante do ponto de vista florístico e faunístico.

Programa completo

14 Maio (sábado)

07,00 h – Partida de Lisboa para Figueira de Castelo Rodrigo.

11,00 h – Encontro em Figueira de Castelo Rodrigo, no parque de estacionamento do Supermercado Mini-Preço.

11,30 h – Partida para visita à Reserva da Faia Brava, para observação de aves rupícolas e outras; observação no abrigo fotográfico, junto ao alimentador de abutres.

20,00 h – Jantar “Ceia Paleolítica” na aldeia de Almendra.

21,30 h – Visita nocturna às gravuras rupestres – núcleo da Penascosa (01,30 h).

15 Maio (domingo)

09,30 h – Visita às gravuras rupestres – núcleo da Ribeira de Piscos (02,30 h).

12,45 h – Almoço em Barca de Alva, no Restaurante “Bago d’Ouro”.

14,15 h – Visita ao Penedo Durão e à ribeira do Mosteiro, no Parque Natural do Douro Internacional, para observação de aves rupícolas e outras.

17,30 h – Regresso a Lisboa.


Preço: 190 euros por pessoa.
O preço inclui: acompanhamento permanente de guia da Birds & Nature e de guia da ATN (este apenas no 1º dia), transporte ao longo de todo o passeio, visita à Reserva da Faia Brava, incluíndo a utilização do abrigo fotográfico do alimentador de abutres, duas visitas guiadas no PAVC, jantar “Ceia Paleolítica” no sábado, utilização de material óptico de qualidade (binóculos e telescópios), seguro de acidentes pessoais e IVA.

Não inclui: alojamento, almoços e outras despesas de carácter pessoal.

Alojamento – Residencial Transmontano (Figueira de Castelo Rodrigo). Preço: 18 euros por pessoa em quarto duplo por noite (single 31 euros por noite). Este custo é pago directamente ao balcão.

Como alternativa, os participantes poderão optar por ficar alojados na Casa da Cisterna, em Castelo Rodrigo (preços: 70 a 95 euros por quarto por noite).Site: http://www.wonderfulland.com/cisterna/


Para comodidade dos participantes, o alojamento será reservado pela Birds & Nature.

Notas

Nos passeios organizados pela Birds & Nature, tentamos proporcionar não só excelentes momentos de birdwatching, mas também oportunidades fotográficas únicas.

O programa realiza-se com um mínimo de 6 participantes; o número máximo de inscrições aceites é de 16.

Para a visita nocturna, recomendamos que os participantes tragam consigo uma lanterna.

Para reservas ou saber mais informações, contacte-nos.

Intercâmbio ATN-FNYH 1º dia - Reserva da Faia Brava

Hoje e amanha técnicos e colaboradores da ATN e FNYH estão em intercâmbio.
Ontem foi a visita dos colegas da Fundação à Reserva Faia Brava. Hoje é a vez da equipa da ATN se deslocar à Reserva de Campanários de Azaba.
Ficam aqui algumas fotos do primeiro dia.





















Pretende se com este intercâmbio fortalecer os laços de cooperação entre  a ATN e a FNYH para melhorar o trabalho de gestão  no terreno e assim aprendermos uns com os outros.

Ambas as reservas  tem os seus objectivos definidos e vale a pena uma visita......