quinta-feira, 31 de maio de 2012

A única Bonelli a criar no Nordeste de Portugal está na Faia Brava

No dia 16 de Maio, a equipa de biólogos da ATN (Alice Gama, João Quadrado e Eduardo Realinho - Universidade de Aveiro) fez uma descoberta única e muito especial. Ao fim de 3 anos de buscas, a ATN encontrou o novo ninho do casal de Águia de Bonelli, o único da ZPE, e este ano, o único de todo o Nordeste de Portugal com nidificação confirmada. No ninho estão 2 crias, neste momento com 5 semanas de idade.













Fotografia de João Cosme


Nas últimas duas décadas, esta espécie tem vindo a desaparecer a um ritmo alarmante de todo o Nordeste do país. Na Faia Brava, esta é uma das missões mais importantes do projecto: proteger e conservar uma das águias mais raras da Europa. Daí todo o esforço que tem sido feito ao longo dos últimos 12 anos no sentido de dar tranquilidade às populações de rupícolas da ZPE, de efectuar uma vigilância apertada de toda a actividade na Faia Brava e, através de acções de gestão activa de habitats, conservar o mosaico agro-florestal que é a paisagem que mantém esta e tantas outras espécies da rica biodiversidade do Côa. A nidificação da Bonelli na Faia Brava é um verdadeiro indicador de resultado do nosso trabalho.

Nos últimos 3 anos, apesar do esforço constante de seguimento das aves rupícolas, não só na Faia Brava, mas em toda a ZPE do vale do Côa, a ATN não conseguiu encontrar o ninho do único casal de Águia de Bonelli da ZPE. Este casal é conhecido desde 1993. No entanto, o seu território sofreu inúmeras alterações ao longo dos anos. Esta instabilidade deve-se a inúmeros factores, incluindo, por 3 vezes, a ocupação de ninhos existentes por casais de Grifo, que iniciam o período de nidificação mais cedo que as águias.

Ano após ano, o casal de Águia de Bonelli, para além de lutar pela sua própria sobrevivência, caçando Perdiz-vermelha, Pombo-das-rochas e Coelho-bravo, busca uma escarpa tranquila para nidificar e presas suficientes para alimentar 1 ou 2 crias por ano. O sucesso do casal só é real quando a cria ou crias voam com sucesso do ninho.

Este ano, devido a factores difíceis de apontar com total certeza, por todo o Nordeste, todos os casais de Águia de Bonelli falharam a nidificação. Falta de presas, condições climatéricas adversas, perturbação, muitas são as causas por detrás destas falhas. E apesar de na Faia Brava, a ATN não poder afirmar que controla todos estes factores, a verdade é que, apesar da competição entre espécies que muitas vezes existe pelas fragas do Côa, o que é certo é que temos a convicção de que tudo está a ser feito para manter este importante casal de águias, que tanta atenção recebe da parte de biólogos, visitantes da Faia Brava e sócios da ATN.

Aqui fica uma fotografia desse lugar tão especial do Côa, a Faia Brava das Bonelli. Queremos manter o lugar anónimo, mas, ainda assim, gostaríamos de partilhar a nossa alegria com todos os nossos sócios, amigos e apoiantes. Porque a Faia Brava é de todos e para todos.

Nesta fotografia, ao centro, o ninho da Águia de Bonelli, fotografado através de um telescópio a centenas de metros e do outro lado do rio. Atrás da giesta da direita, duas crias estão deitadas à sombra