terça-feira, 11 de novembro de 2014

Estudantes de Ecoturismo | Ecotourism students @ Faia Brava



A 7 de Novembro, um grupo de finalistas da licenciatura em Ecoturismo da Escola Superior Agrária de Coimbra visitou a Faia Brava. À chegada, o território da Reserva que se avistava logo desde aquela entrada sul exercia um poder de encantamento que nem o senhor João, motorista do autocarro escolar, quis perder a oportunidade de entrar por ali à descoberta com o grupo. 
A visita foi guiada com todo o empenho por Bárbara Pais, responsável pela comunicação e turismo da ATN, que levou os participantes a identificar elementos da flora por ali encontrados, a reflectir sobre os efeitos nefastos do fogo na paisagem, a conhecer a produção biológica de azeitona da reserva. 

A certa altura, a caminhada fez o grupo chegar perto de um cavalo garrano que por ali pastava solitário. Para a maior parte dos presentes foi fascinante o avistamento de um animal daquela envergadura em condição de relativa liberdade (estado semi-selvagem). Mas a surpresa maior foi que este, vendo o grupo a aproximar-se, não tenha decidido fugir, mas tenha vindo ao encontro do grupo. Aproximou-se calmamente e foi se chegando à vez a cada pessoa, deixando-se acariciar, como que a cumprimentar cada uma delas. Então, já seguro quanto à ausência de malícia desta gente humana, pôde o garrano seguir caminho, incentivando também o grupo a prosseguir o seu. 

Do alto de uma imensa bola granítica assente no topo de um morro sobre o vale do Côa, o grupo ouviu falar sobre a variedade de aves rupícolas que frequenta as ravinas da margem do rio dali avistadas, bem como de muitas outras temáticas biológicas, ecológicas e até arqueológicas que aquela paisagem fazia trazer a propósito.  

No último troço da caminhada, ainda se viram três vacas maronesas, mas estas, não tão confiantes quanto o garrano, ou já tomando maior gosto à sua autonomia face aos humanos, foram mantendo a distância. Ainda assim, não conseguiram evitar que ficasse feito o registo fotográfico.

Porém, o brinde final oferecido por este refúgio de vida selvagem aconteceu já em hora de merenda junto ao portão da reserva. Oito grifos vindos de lugar incerto por ali ficaram a traçar no ar as suas características trajectórias vorticosas, permitindo a sua observação.


Nutridos do seu farnel e da rica experiência ecológica, os estudantes seguiram rumo a outras paragens, dando continuação à sua viagem de estudo.


Text by Frederico Ferreira, Photos by Niek Meister
___________________________________________________________________________

On the 7th of November, a group of  finalists of the Ecotourism degree from ISAC (Agrarian Superior Institute of Coimbra) visited the Faia Brava Reserve. At the main entrance of Faia Brava, the mystical enchantment of wild nature brought them the will of discovering the Reserve, and not even Mr. João, the bus driver, let go the opportunity of  exploring with the group.

The tour was guided with all dedication by Bárbara Pais, responsible for communications and tourism at ATN, that helped the participants on identifying the flora that could be seen. Students were also stimulated to consider the negative impacts of fire on landscape and they learned also about the organic olive production at the Reserve.

At a certain point, the group found a garrano horse that was roaming alone. For the majority it was a fascinating moment, to see an animal with that span, in a semi-wild condition. But the biggest surprise was to witness that instead of running away from humans, the horse started to walk towards the group. He approached slightly to be touched by each one of them. Then, already secure of the non-malicious intentions of this humans, the horse followed is own way, and the group did the same.

On the top of a huge granite cliff over the Côa Valley, the group learned about cliff breeding birds that nest across the canyon. They also heard about other subjects of biology, ecology and archaeology.

On the last part of the walk, tree maronesa cows were seen, but those, not so confident as the horse was, kept a safety distance from humans. Still, they could not avoid to be caught by the photographic cameras around.

However, the biggest gift offered at this sanctuary of wildlife came at the meal time, near the main gate of the Reserve: 8 griffon vultures, coming for an uncertain place, start gliding in circles, as they always do, letting to be watch by the students.

After a good meal and an enriching ecological experience, the group followed their trip.