sexta-feira, 16 de setembro de 2016

Detecção da Presença do Britango (Rupis) que está a ser seguido com GPS

Foi há aproximadamente dois meses que o Rupis, um abutre-do-egipto com três anos de idade, foi capturado com o intuito de instalar um emissor GPS/GSM/UHF e libertado no Parque Natural de los  Arribes del Duero (Foto Abutre capturado: José Jambas). O objectivo é o de conhecer e compreender os movimentos migratórios desta ave durante dois anos.
O Rupis tem estado a maioria do seu tempo do lado espanhol, não muito longe da fronteira portuguesa. (Seguir RUPIS AQUI)
Ao longo destes meses a equipa constituída pela  SPEA (Sociedade Portuguesa para o Estudo das Aves)entidade coordenadora do projeto e os  oito parceiros (a Associação Transumância e Natureza, a Palombar, o Instituto de Conservação da Natureza e Florestas, a Junta de Castilla y León, a Fundación Patrimonio Natural de Castilla y León, a Vulture Conservation Foundation, a EDP Distribuição e a Guarda Nacional Republicana) tem estado a monitorizar as deslocações de Rupis e para além de ser possível acompanhar os seus movimentos através da ligação: http://rupis.pt/pt/mapa-dos-movimentos-de-britango/ por vezes os técnicos da ATN  vão ao campo para confirmar a sua posição e tentar conhecer melhor os seus hábitos.

No artigo apresentamos  duas imagens obtidas durante uma destas saídas de campo em que é possível observar o equipamento de detecção do Rupis (Fotos: Eduardo Realinho)


Nos próximos dias o Rupis migrará para o Sul e irá passar o Inverno em África.