segunda-feira, 22 de maio de 2017

Britango Rupis “pousou” na Faia Brava




Em julho do ano passado, o britango Rupis foi capturado e marcado com um emissor no Parque Natural do Douro Internacional (PNDI). Este é o primeiro indivíduo marcado no âmbito do projeto Life Rupis, com o objetivo de identificar as áreas de alimentação, reprodução e hibernação, bem como de conhecer as rotas migratórias utilizados por esta espécie que hiberna em África.
Esses dispositivos também são úteis em caso de morte do indivíduo marcado, para conhecer a localização do corpo e as possíveis causas de morte. 
O Rupis iniciou a sua migração para o Sul no final de setembro, atravessou o deserto do Sahara em 10 dias e chegou ao Mali no início de novembro, escolhendo novamente uma área protegida - o Parque Nacional Boucle du Baoulé -, para passar o inverno. Depois do inverno, em finais de abril, o Rupis iniciou novamente e viajou quase 4000 km em 15 dias, para regressar ao PNDI. De acordo com a sua preferência por áreas naturais protegidas, o Rupis foi recentemente localizado na Reserva da Faia Brava, a primeira Área Protegida Privada de Portugal.