quinta-feira, 20 de dezembro de 2018

LIFE Rupis: populações das principais presas da águia-perdigueira mantêm-se estáveis no período 2016-2017 | LIFE Rupi: 93/5000 populations of the main prey of the golden eagle remain stable in the period 2016-2017


As populações das principais presas da águia-perdigueira (Aquila fasciata), mantiveram-se relativamente estáveis entre o período 2016-2017, de acordo com dados provisórios do Relatório de Progresso da Ação D3 do projeto “LIFE Rupis – Conservação do Britango (Neophron percnopterus) e da Águia-perdigueira (Aquila fasciata) no vale do rio Douro”, relativa à monitorização das populações de coelho-bravo (Oryctolagus cuniculus), perdiz-vermelha (Alectoris rufa) e pombo-das-rochas (Columba livia).

 Figura 1 - Águia-de-Bonelli (Aquila fasciata).


Os resultados das campanhas de monitorização já realizadas no âmbito da Ação D3, bem como os dados de comparação com os resultados obtidos no contexto da Ação A4 (estudo de base realizado em 2016 para estimar a abundância inicial de presas da águia-perdigueira na área de intervenção do projeto LIFE Rupis), mostram que a situação populacional geral das principais espécies de presas da Aquila fasciata no Parque Natural do Douro Internacional está estável, embora o tamanho das suas populações ainda seja atualmente reduzido.

No entanto, estão já a ser implementadas medidas na área do projeto para tentar reverter este cenário pela ATNatureza – Associação Transumância e Natureza, pela Palombar - Associação de Conservação da Natureza e do Património Rural, pela Fundación Patrimonio Natural de Castilla y León e pela JCyL - Junta de Castilla y León, parceiros do LIFE Rupis, para aumentar as populações dessas espécies presas, nomeadamente a gestão do habitat da perdiz-vermelha e do coelho-bravo (parcelas com sementeiras e clareiras) e o repovoamento de pombais tradicionais com pombos-das-rochas, cujos efeitos ainda não foram passíveis de avaliar no âmbito deste relatório.

Os dados indicam também que a abundância do coelho-bravo, perdiz-vermelha e pombo-das-rochas não é homogénea em toda a área do Parque Natural do Douro Internacional e do Parque Natural Arribes del Duero, bem como dentro dos territórios da águia-perdigueira. Essas espécies estão relativamente bem distribuídas em toda a área do projeto, estando presentes em níveis sub-ótimos de abundância em vários locais e/ou possuem um padrão de distribuição fragmentado (por exemplo, o coelho-bravo).

 Figura 2 - Ficha de campo utilizada na monitorização das populações de lagomorfos

A abundância relativa de latrinas de coelho-bravo (usada como indicador da abundância de coelhos) foi muito baixa na maioria das áreas amostradas, sugerindo uma reduzida disponibilidade desta espécie para a águia-perdigueira na área do projeto.

No que se refere à perdiz-vermelha, foi registada a sua presença em todos os territórios amostrados, porém a sua abundância relativa foi sobretudo baixa no Parque Natural do Douro Internacional. No geral, os resultados obtidos no lado português foram semelhantes aos reportados pelo parceiro espanhol no Parque Natural Arribes del Duero.
Figura 3 - Perdiz-vermelha (Alectoris rufa).

Relativamente ao pombo-das-rochas, cujos censos avaliaram tanto a sua população selvagem quanto a feral, também esteve presente em todos os territórios monitorizados, mas a sua abundância foi muito variável em toda a área do Douro Internacional. Esta espécie mostrou ser relativamente abundante em determinados territórios, enquanto noutros a sua presença foi escassa.

No geral, as populações de coelho-bravo, perdiz-vermelha e pombo-das-rochas permaneceram relativamente estáveis entre os anos de amostragem (ações A4 e D3) nos Parques Naturais do Douro Internacional e Arribes del Duero, apesar das flutuações interanuais e de algumas alterações locais na sua abundância. É necessário, contudo, dar continuidade, nos próximos anos, à realização de censos para avaliar de forma mais robusta e aprofundada o tamanho e a dinâmica das suas populações.

A situação atual das principais espécies de presas da águia-perdigueira em alguns territórios indicam que há necessidade de continuar a implementar ações específicas no terreno, nomeadamente promover a recuperação e a gestão de pombais tradicionais, a fim de aumentar a abundância de pombos-das-rochas (ação C4) e assegurar a gestão de habitats para a recuperação de populações de perdiz e coelho-bravo (ação C5), bem como fomentar uma adequada gestão cinegética dessas espécies.
Figura 4 - Monitorização das populações de lagomorfos na área de implementação do LIFE Rupis.

O relatório mostrou ainda que é preciso implementar medidas para avaliar 1) o efeito das ações de gestão do habitat já implementadas sobre a abundância de presas selvagens e 2) o efeito da disponibilidade de presas para a população, a dinâmica e o desempenho reprodutivo da águia-perdigueira na área do projeto. Tais análises devem integrar dados tanto do lado português quanto espanhol. No que se refere ao ponto 1), as amostragens para estimar a abundância de coelho-bravo e perdiz no ano de 2018 (ou seja, segundo ano de implementação da ação D3) foram delineadas com esse propósito. Os resultados estarão disponíveis em breve e farão parte de um relatório futuro. Relativamente ao ponto 2), a avaliação da disponibilidade de presas também deve incluir a abundância de outras espécies relevantes na dieta da águia-perdigueira, como a pega-azul (Cyanopica cyanus), o pombo-torcaz (Columba palumbus), o estorninho-malhado (Sturnus vulgaris) e várias espécies da família Turdidae.

O “LIFE Rupis – Conservação do Britango (Neophron percnopterus) e da Águia-perdigueira (Aquila fasciata) no vale do rio Douro” (www.rupis.pt) é um projeto de conservação transfronteiriço, entre Portugal e Espanha, cofinanciado através do programa LIFE da Comissão Europeia. Para além da componente de conservação da natureza, desenvolve diversas atividades de promoção da região do Parque Natural do Douro Internacional, dos seus valores naturais e do seu potencial para o turismo ornitológico. Coordenado pela Sociedade Portuguesa para o Estudo das Aves (SPEA), o projeto LIFE Rupis tem como parceiros: a ATNatureza - Associação Transumância e Natureza, a Palombar – Associação de Conservação da Natureza e do Património Rural, o Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), a Junta de Castilla y León, a Fundación Patrimonio Natural de Castilla y León, a Vulture Conservation Foundation (VCF), a EDP Distribuição e a Guarda Nacional Republicana (GNR).
Na região transfronteiriça do vale do Douro, área de intervenção do projeto LIFE Rupis, o número de casais de águia-perdigueira permaneceu estável na última década (13–14 casais reprodutores desde 2006), no entanto, o seu sucesso reprodutor diminuiu de 8 crias voadoras, em 2006, para apenas 4, em 2013. Um dos principais objetivos do projeto LIFE Rupis é inverter esta tendência.

Os baixos valores de sucesso reprodutor da espécie verificados na região têm sido associados, em parte, à reduzida disponibilidade de espécies como o coelho-bravo, a perdiz-vermelha e o pombo-das-rochas. Estas são as principais espécies de presas da águia-perdigueira na Península Ibérica, tanto durante a época de reprodução, como no período não reprodutivo, como atestam vários estudos já realizados.

As populações dessas espécies de presas diminuíram drasticamente em muitas regiões da Península Ibérica como resultado de mudanças no uso do solo, surtos de doenças e/ou gestão inadequada da caça, gerando consequências negativas para uma grande comunidade de predadores vertebrados, incluindo a águia-perdigueira.
A relativa escassez das suas principais presas em muitas áreas do vale do Douro forçou as águia-perdigueira a diversificaram a sua alimentação e a procurarem outras fontes de alimento como passeriformes de médio a grande porte e répteis (as quais poderão representar presas sub-ótimas em termos energéticos).

A gestão e a conservação eficazes das principais presas da águia-perdigueira são, portanto, cruciais para a viabilidade populacional desta ave de rapina no vale do Douro. Diversas ações focadas na recuperação e no reforço das populações dessas espécies na região são de importância fulcral no contexto do projeto LIFE Rupis, com vista a aumentar a disponibilidade de presas para a águia-perdigueira.

As ações direcionadas para assegurar a melhoria da qualidade do habitat do coelho-bravo e da perdiz-vermelha (ações C5 e C6), por um lado, e para promover a recuperação de pombais tradicionais e repovoamento com pombo-das-rochas (ação C4), por outro, são algumas das ações de conservação/gestão que já estão a ser implementadas.

Adicionalmente, será realizada ainda uma avaliação da distribuição e abundância das principais presas da águia-perdigueira (ações A4 e D3) e a monitorização das suas tendências populacionais (ação D3), medidas que são fundamentais para aferir sobre o estado dessas populações na área do projeto, bem como para avaliar o sucesso das ações de conservação/gestão realizadas.

ENGLISH VERSION BELOW
Populations of the main prey of the bird-eagle (Aquila fasciata) have remained relatively stable between the period 2016-2017, according to provisional data from the Progress Report on Action D3 of the project LIFE Rupis (Neophron percnopterus (Aquila fasciata) in the Douro river valley ", on the monitoring of the populations of wild rabbits (Oryctolagus cuniculus), red partridge (Alectoris rufa) and pigeon-rock (Columba livia).

Figure 1 - Bonelli's eagle (Aquila fasciata).

The results of the monitoring campaigns already carried out under Action D3, as well as the comparison data with the results obtained in the context of Action A4 (a baseline study carried out in 2016 to estimate the initial abundance of prey in the LIFE Rupis project), show that the general population situation of the main Aquila fasciata prey species in the Douro International Natural Park is stable, although the size of their populations is still currently low.

However, measures are already being implemented in the project area to try to reverse this scenario by ATNatureza - Transhumance and Nature Association, by Palombar - Association for the Conservation of Nature and Rural Heritage, by the Natural Heritage Foundation of Castilla y León and by JCyL - Junta de Castilla y León, partners of LIFE Rupis, to increase the populations of these prey species, namely the management of the habitat of red partridge and wild rabbit (plots with sowings and clearings) and the repopulation of traditional pigeons with pigeons- the effects of which have not yet been assessed in the context of this report.

The data also indicate that the abundance of wild rabbit, red partridge and rock pigeon is not homogeneous throughout the area of ​​the Natural Park of the International Douro and Arribes del Duero Natural Park, as well as within the territories of the eagle- pecker. These species are relatively well distributed throughout the project area, being present at sub-optimal levels of abundance at various sites and / or have a fragmented distribution pattern (eg wild rabbit).

Figure 2 - Field sheet used to monitor the populations of lagomorphs

The relative abundance of wild-rabbit latrines (used as an indicator of rabbit abundance) was very low in most of the sampled areas, suggesting a reduced availability of this species to the golden eagle in the project area.

With regard to the red partridge, its presence was registered in all the territories sampled, but its relative abundance was mostly low in the Douro International Natural Park. In general, the results obtained on the Portuguese side were similar to those reported by the Spanish partner in the Arribes del Duero Natural Park.
Figure 3 - Red-headed partridge (Alectoris rufa).

In relation to the rock pigeon, whose censuses evaluated both its wild and feral populations, it was also present in all monitored territories, but its abundance was very variable throughout the Douro International area. This species showed to be relatively abundant in certain territories, while in others its presence was scarce.

In general, the wild-rabbit, red-partridge and rock-pigeon populations remained relatively stable between the sampling years (actions A4 and D3) in the Natural Parks of the International Douro and Arribes del Duero, despite the interannual and some local changes in their abundance. It is necessary, however, to continue, in the next few years, the carrying out of censuses to assess in a more robust and in depth the size and dynamics of its populations.

The current situation of the main species of prey in certain territories indicates that there is a need to continue to implement specific actions on the ground, namely to promote the recovery and management of traditional pigeons, in order to increase the abundance of pigeons, (action C4) and ensure the management of habitats for the recovery of partridge populations and wild rabbit (C5 action), as well as to promote an adequate hunting management of these species.

Figura 4 - Monitorização das populações de lagomorfos na área de implementação do LIFE Rupis.

 The report also showed that measures need to be implemented to assess 1) the effect of habitat management actions already implemented on wild prey abundance and 2) the effect of prey availability on the population, dynamics and reproductive performance of the eagle -perdigueira in the project area. Such analyzes should integrate data from both the Portuguese and Spanish sides. Concerning point 1), the samplings to estimate the abundance of wild rabbit and partridge in the year 2018 (that is, the second year of implementation of the D3 action) were delineated for this purpose. The results will be available shortly and will be part of a future report. Regarding point (2), the assessment of the availability of prey should also include the abundance of other relevant species in the diet of black-winged eagle, such as the blue-eared bird (Cyanopica cyanus), the wood pigeon (Columba palumbus) (Sturnus vulgaris) and several species of the Turdidae family.

The "LIFE Rupis - Conservation of Brittany (Neophron percnopterus) and Perigord eagle (Aquila fasciata) in the Douro river valley" (www.rupis.pt) is a cross-border conservation project between Portugal and Spain, co-financed through the program LIFE of the European Commission. In addition to the nature conservation component, it develops several activities to promote the Douro International Natural Park region, its natural values ​​and its potential for ornithological tourism. Coordinated by the Portuguese Society for the Study of Birds (SPEA), the LIFE Rupis project has as partners: ATNatureza - Transhumance and Nature Association, Palombar - Association for Conservation of Nature and Rural Heritage, Institute of Nature Conservation and Forests (ICNF), the Junta de Castilla y León, Fundación Castilla y León, the Vulture Conservation Foundation (VCF), EDP Distribuição and the National Republican Guard (GNR).

In the cross-border region of the Douro valley, LIFE Rupis intervention area, the number of patagonian eagle couples remained stable in the last decade (13-14 breeding pairs since 2006), however, their breeding success decreased from 8 young flying in 2006 to only 4 in 2013. One of the main objectives of the LIFE Rupis project is to reverse this trend.

The low reproductive success rates of the species found in the region have been associated, in part, with the reduced availability of species such as wild rabbits, red partridges and rock pigeons. These are the main bird prey species in the Iberian Peninsula, both during the breeding season and in the non-breeding season, as shown by several studies already carried out.

Populations of these prey species have declined dramatically in many regions of the Iberian Peninsula as a result of changes in land use, disease outbreaks and / or inadequate management of game, resulting in negative consequences for a large community of vertebrate predators, including bird of prey .
The relative scarcity of their main prey in many areas of the Douro valley has forced the partridge eagles to diversify their food and to seek other sources of food such as medium to large passerines and reptiles (which may represent sub-optimal prey in energy terms).

The effective management and conservation of the main prey of the bird of prey are therefore crucial to the viability of this bird of prey in the Douro valley. Several actions focused on the recovery and strengthening of the populations of these species in the region are of paramount importance in the context of the LIFE Rupis project, with a view to increasing the availability of prey for the golden eagle.

The actions directed to ensure the improvement of the habitat quality of the wild rabbit and the red partridge (actions C5 and C6), on the one hand, and to promote the recovery of traditional pigeons and repopulation with rock pigeon (action C4 ), on the other, are some of the conservation / management actions that are already being implemented.

In addition, an assessment will be made of the distribution and abundance of the main prey birds (actions A4 and D3) and the monitoring of their population trends (action D3), measures that are fundamental for assessing the status of these populations in the area of project, as well as to evaluate the success of conservation / management actions undertaken.