quarta-feira, 11 de dezembro de 2019

Devolução à Natureza de Milhafre-real em Figueira de Castelo Rodrigo | Realease of a Red Kite back to the wild in Figueira de Castelo Rodrigo





Lembram-se do Milhafre-real que foi entregue à ATNatureza no passado dia 24 de Novembro?! A ave não conseguia voar e  foi capturada sem dificuldade por pessoas da aldeia de Escalhão. A mesma foi transportada pelo SEPNA-GNR de Vilar Formoso (Serviço de Protecção da Natureza da GNR) para o CERVAS- Centro de Ecologia, Recuperação e Vigilância de Animais Selvagens onde recebeu tratamento e permaneceu até ao dia de hoje para a sua devolução à natureza.
A ave apresentava uma fractura numa das asas, muito provavelmente resultado de uma colisão com um cabo elétrico (foi encontrada nas imediações de uma linha eléctrica), e a sua recuperação foi total, pelo que foi possível o seu rápido regresso ao meio natural. Para a sua devolução contámos com a presença de 66 alunos do Jardim de Infância da Fundação Ana Paula, que após assistirem um pequeno teatro de fantoches do “Rupis e as suas aventuras”,  tiveram contacto com a ave e assistiram ao seu primeiro voo de volta à liberdade.
O Milhafre-real é uma espécie de rapina com duas populações distintas: a nidificante ( com estatuto de Criticamente em perigo) e a  invernante ( oriunda essencialmente do Centro e Norte da Europa, com estatuto de Vulnerável) que ocorre na região de Figueira de Castelo Rodrigo. O Milhafre-real é uma espécie-alvo do projeto Life Rupis da qual a ATNatureza é parceira e trabalha ativamente na sua conservação e na  minimização de riscos que afetam esta e outras espécies-alvo do projeto.
Saiba mais sobre o projeto Rupis: www.rupis.pt


Realease of a Red Kite back to the wild in Figueira de Castelo Rodrigo

Remember the Red Kite that was delivered to ATNatureza on the 24th of November?! The bird could not fly and was easily caught by people from the village of Escalhão. It was transported by SEPNA-GNR from Vilar Formoso (Environment Police Agency) to CERVAS - Center for Ecology, Recovery and Surveillance of Wildlife where it was treated and fully recovered.
The bird had a broken wing as a result of a collision with an electrical wire, but its treatment was successful, culminating with a rather quick recovery. For its return we had 66 children from kindergarten Ana Paula Foundation who after watching a small puppet theatre about "Rupis and its adventures", had contact with the bird and watched it being returned to nature.
The Red Kite is a bird of prey with two distinct populations in this Region: the breeding (Critically endangered) and the wintering population (mainly individuals coming from Central and Northern Europe, with Vulnerable status) The Red Kite is a target species of the Life Rupis project of which ATNatureza is a partner and actively works to conserve and minimize risks that affect this and other project target species.
Learn more about the Rupis project: http://www.rupis.pt/en/


sexta-feira, 15 de novembro de 2019

Projecto Escolar de Cidadania e Desenvolvimento reverte doação à ATNatureza | Citizenship and Development Scholar Project reverts donation to ATNature

Projecto Escolar  de Cidadania e Desenvolvimento reverte doação à ATNatureza


Durante o ano letivo 2018-2019, @s alun@s do 5º ano (atualmente no 6º ano), desenvolveram um projeto no âmbito da disciplina de Cidadania e Desenvolvimento no tema do Bem-Estar Animal em Figueira de Castelo Rodrigo (FCR). No decorrer do projeto, entre outras coisas, estes(as) alun@s fizeram livros de receitas de pesticidas biológicos (PB), para vender aos cidadãos de FCR, incentivando os mesmos à utilização de pesticidas biológicos, em detrimento dos pesticidas químicos, que podem provocar o envenenamento animal. O dinheiro angariado com a venda destes livros (94.00 euros!) foi entregue, na passada segunda-feira, à Associação Transumância e Natureza (ATNatureza) e desde já queremos manifestar o nosso obrigado e anunciar que o mesmo já foi usado para adquirir alimento suplementar para os cavalos e que já está a ser útil para alimentar uma égua Sorraia que estava um pouco debilitada.
Um bem haja ao Agrupamento de Escolas de Figueira de Castelo Rodrigo pelo trabalho desenvolvido e pelo facto de sensibilizar os alunos para causas tão importantes.
NOTA:Se quiser um dos últimos exemplares deste livro, dirija-se à sede da nossa Associação. Vá a correr, antes que acabem!

Citizenship and Development Scholar  Project reverts donation to ATNature

During the 2018-2019 school year, 5th graders (currently in the 6th grade) developed a project in the area of Citizenship and Development on the theme of Animal Welfare in Figueira de Castelo Rodrigo (FCR). During the project, among other things, these students made books for biological pesticides (PB) to sell encouraging people to use biological pesticides over chemical pesticides, which may cause animal poisoning. The money raised from the sale of these books (94.00 euros!) Was handed over last Monday to the Association Transhumance and Nature (ATNature) and we want to express our thanks and announce that it has already been used to purchase supplementary food for horses and is already being used to feed a slightly weakened Sorraia mare.
A good word to the Figueira de Castelo Rodrigo School Group for its work and for raising students' awareness of such important causes.
NOTE: If you want one of the last copies of this book visit the  Association headquarters. Go quickly  before it's over!

segunda-feira, 11 de novembro de 2019

JUNÇA FAIA BRAVA está curada !!! | JUNÇA FAIA BRAVA is healed !!!

JUNÇA FAIA BRAVA está curada !!!

Lembra-se da égua JUNÇA FAIA BRAVA que foi encontrada pela nossa bióloga Ana Nunes e pelos trabalhadores de campo e que foi tratada com o ferimento grave na pata traseira esquerda?!
Graças à rápida intervenção da equipa da ATNAtureza a Junça teve acesso a cuidados médicos inclusive curativos de mel, caso para dizer que, o mel Faia Brava faz milagres!! E em pouco tempo a Junça ficou saudável e já se encontra junto da sua manada. Reserve já uma data e venha nos visitar e quem sabe pode ter a sorte de avistar a Junça em liberdade junto da sua manada.

JUNÇA FAIA BRAVA is healed !!!
Do you remember the JUNÇA FAIA BRAVA mare that was found by our biologist Ana Nunes and the field workers and was treated with a serious injury to her left hind leg ?!
Thanks to the quick intervention of the ATNAtureza team Junça had access to medical care including honey dressings, in case to say that Faia Brava honey makes miracles !! And soon Junça was healthy and is already with his herd. Book a date and come visit us, and you might be lucky enough to see Junça with their herd.

terça-feira, 5 de novembro de 2019

Visita Técnica de Escola Técnico-Profissional Holandesa (Helicon) ao Território de Natureza em Figueira Castelo Rodrigo | Study Visit of a Dutch Professional School (Helicon) to the Nature Territory - Figueira Castelo Rodrigo.




Durante uma semana, entre os dias 15 a 22 de Outubro, o território de Figueira Castelo Rodrigo serviu de Escola Aberta para acolher uma turma de 19 alunos acompanhados por 2 professores do Curso de Investigação  em Natureza e Ambiente de uma escola holandesa (Helicon Opleidingen). O objectivo desta visita de estudo foi conhecer a região e o trabalho que se está a desenvolver na criação e dinamização de espaços para a natureza, como é exemplo a Reserva da Faia Brava, e dos denominados, negócios verdes, ou seja, iniciativas empresariais que são compatíveis com a promoção da biodiversidade e o respeito pela natureza.
Os alunos tiveram a oportunidade de visitar e acompanhar o trabalho diário dos técnicos da Reserva da Faia Brava. Monitorizar as aves de rapina e as suas espécies presas é fundamental para perceber a evolução das populações, compreender e estudar a biodiversidade de uma charca é também muito importante para a dinâmica do ecossistema, pois a água e a sua qualidade constituem sem dúvida factores limitantes para vida de muitas espécies. Os trabalhos de limpeza da floresta, realizados pela equipa de campo, o auxílio das manadas de cavalos e vacas, que se encarregam de manter os pastos limpos são acções importantes para a consolidação da área florestal na Reserva. O envolvimento do Agrupamento de Escolas de Figueira de Castelo Rodrigo, em acções de reflorestação e plantação de árvores, é também relevante e por isso os alunos tiveram a oportunidade de visitar as instalações do  viveiro florestal que foi  criado no recinto da escola e que vai constituir-se como um autêntico laboratório vivo, bem como uma ferramenta de aproximação da comunidade escolar ao trabalho tão essencial de criar árvores para revitalizar a nossa floresta.
Houve também a possibilidade de combinar a sua estadia  com a visita ao Festival  de Ciência  onde os estudantes tiveram a possibilidade de contactar com estudantes locais e participar em diferentes atividades, workshops e jogar com jogos e brinquedos tradicionais Portugueses.
Para compreender a evolução da nossa paisagem, os alunos visitaram o Museu de Algodres, onde puderam observar diferentes equipamentos e ferramentas utilizadas no território em tempos em que o cereal dominava a paisagem. Agora, e por motivos de um Mercado cada vez mais globalizado, grande parte desse cereal é importado a baixo custo de outras regiões do globo, o que torna inviável a sua produção na nossa região, restando apenas algumas searas que servem sobretudo para alimentação de gado.
Então coloca-se a questão “Que tipo de negócios podem ser actualmente viáveis nesta região?
Para responder a esta pergunta os alunos que nos visitaram puderam contactar directamente com empreendedores locais que optaram por compatibilizar o seu negócio com uma visão moderna de promoção da biodiversidade e o respeito pela natureza. A visita a um produtor de azeite e amêndoa entre outros produtos em modo de Agricultura Biológica foi sem dúvida importante para compreender de que forma se pode concretizar uma agricultura com valor acrescentado, que promova a biodiversidade da exploração e zonas envolventes, como forma de obter melhor produção e qualidade dos produtos.
O ecoturismo, sector económico recente na nossa região e em desenvolvimento a nível nacional e mundial, tem crescido bastante, mostrando que existe um mercado cada vez mais exigente, com turistas que procuram experiências autênticas em locais mais reservados, onde possam encontrar uma comunhão perfeita entre um ambiente saudável e preservado e uma dinâmica de serviços e produtos de grande qualidade.
Os alunos visitaram a fábrica de doces tradicionais “Sabores da Geninha” onde tiveram a possibilidade de provar produtos de grande qualidade e ver como se faz marmelada tradicional.
Os alunos tiveram a oportunidade de participar no Festival de Ciência que decorreu no mesmo período da sua visita, participar em diferentes workshops de ciência, experimentar jogos tradicionais e contactar com estudantes da escola de Figueira de Castelo Rodrigo.
As visitas de estudo e estágios que se têm realizado quase de uma forma contínua constituem também uma forma de dinamizar a economia local. Mas o mais importante é que estes jovens tenham experiências realmente valiosas e inspiradoras, que possam partilhar com colegas de escola, professores, amigos e família, criando desta forma uma rede de interessados em visitar e conhecer e quem sabe viver e investir nesta região.
Criar espaços para a natureza constitui a missão da Associação Transumância e Natureza, mas é com imenso prazer que vemos crescer esta rede de pessoas e amigos que cada vez mais procura o nosso território para desenvolver os seus projectos. Esta partilha entre alunos, professores e agentes locais é importante para inspirar os nossos jovens a acreditar no valor da sua terra e no desenvolvimento sustentável.

For one week, between October 15 and 22, Figueira de Castelo Rodrigo served as an Open School to receive a class of 19 students and 2 teachers of the  Investigation of Nature and Environment Course, of the Helicon Opleidingen school from the Netherlands. The goal of this visit was to get to know the region and the work which is being developed to create and stimulate economic activity of nature areas, having the Faia Brava Reserve as a model, as well as some businesses which are compatible with the respect for nature and the promotion of biodiversity.

The students had the opportunity to learn about the daily work which is done by the team at Faia Brava. Monitoring birds of prey and their prey species is crucial to understand their population dynamics. They learned about tracks and sign in nature, an interest way to know more about the biodiversity, and they collected acorns for the tree nursery. The forestry work which is accomplished by the field team at the reserve, with the support of herds of cows and horses, is crucial to maintain open grassland and to foster the recovery of the native forest. The participation of the Figueira de Castelo Rodrigo schools in the reforestation and plantation activities is also relevant, and the students were able to see this on a visit to the tree nursery which is being built inside the school boundaries and will serve as a true live lab for the students and a tool to involve the school community in this vital work of recovering our native forests.
There was the possibility to combine their visit with the Science Festival in Figueira the Castelo Rodrigo where the students had the possibility to contact with locals students and participate in different activities, workshops and enjoy traditional  Portuguese toys and games.
To understand the evolution of our landscape, the students visited the Algodres Museum, where they could examine different tools which were used for managing agricultural land in past decades, at a time when cereal production dominated the landscape. Now, because of a more globalized market, the cereal is imported at a lower price from other regions of the world, and the local production is economically inviable, except for some crops used for livestock feeding.
So we come to the question “What type of businesses are viable in the region”?
To answer this question, the students visited several local entrepreneurs who are growing their business based on biodiversity and respect for nature. One of the highlights was a visit to an organic olive oil and almond producer to understand how this type of agriculture can increase the value and quality of the products, at the same time promoting biodiversity. Ecotourism is a recent and growing business development in the region, showing that there is a demanding market, with costumers who expect authentic experiences in secluded locations, where they can find a perfect match between a healthy and well conserved environment and high quality products and services.
The students had the possibility to visit a sweet handcraft factory “Sabores da Geninha“ where they have the possibility to taste different high quality products and to see how is made the traditional  marmalade.

Students had the opportunity to participate in the Science Festival that took place during the same period of their visit,  participate in different science workshops,  play traditional games and have contact with students from Figueira de Castelo Rodrigo school.
The study visits and internships are also ways to promote the local economy. But most important is that these young students live valuable and inspiring experiences, so that they can share them with their school community, friends and family, creating a more environmental knowledgeable community and a network of people interested in visiting, studying and living in this region.
Creating spaces for nature is ATN’s mission, and it is with great pleasure that we watch this friend and support network grow every day. This sharing between students, teachers and local agents is important to inspire our young people to believe in the value of the land and its sustainable development.

quarta-feira, 30 de outubro de 2019

Caminhada de Cogumelos Cidadelhe | Mushroom Hike in Cidadelhe 2019

No dia 30 de Novembro, pelas 9h30 horas, a ATNatureza,, ir-se-á realizar uma Caminhada dos Cogumelos,que iniciará em Cidadelhe, Pinhel lado Oeste da Reserva da Faia Brava.

Esta é uma excelente oportunidade para dar as boas-vindas ao  tempo frio, conhecer a aldeia histórica de Cidadelhe,explorar a Reserva da Faia Brava e ainda conhecer um pouco mais sobre o mundo dos cogumelos.

Para as inscrições, fale connosco (966544220) ou envie-nos um e-mail (marco.ferraz@atnatureza.org), com o seu nome completo, NIF e data de nascimento( para efeitos de seguro) .

O preço, para sócios, é de 7.5€ e, para não sócios é 10€, em que, para além de uma visita à Reserva da Faia Brava, poderá saber mais sobre os cogumelos e desfrutar de um piquenique partilhado (traga um petisco para partilhar)

Por estes e por todos os motivos, não há desculpa para faltar a esta actividade.

Contamos com todos! Afinal quem não gosta de cogumelos?!

Será um dia em grande!

Com a presença dos Guias de Micologia : Engº Marco Ferraz e Engº Cassiano Monteiro da Associação Micológica Pantorra.
Ponto de encontro: https://www.google.com/maps/@40.9149107,-7.1167824,3a,60y,90t/data=!3m6!1e1!3m4!1s6Vr5D44OYyymUvDgEi4Vaw!2e0!7i13312!8i6656


ENGLISH VERSION

On November 30th, at 9:00 am, ATNatureza, ", will hold "The Mushroom Walk" through the Faia Brava Reserve.

This is an excellent opportunity to welcome autumn and cold weather, explore the Faia Brava Reserve and learn more about the world of mushrooms.

For registration, contact us (966544220) or send us an e-mail (marco.ferraz@atnatureza.org), with your full name, VAT number and date of birth (for insurance purposes).

The price for members is € 7.5 and for non-members is € 10 where, in addition to a visit to the Faia Brava Reserve, you can learn more about the mushrooms and enjoy a shared picnic
(bring a snack to share)

For these and for all reasons, there is no excuse for missing out on this activity.

We count on everyone! After all, who does not like mushrooms ?!

It will be a big day!

Meeting Point :
https://www.google.com/maps/@40.9149107,-7.1167824,3a,60y,90t/data=!3m6!1e1!3m4!1s6Vr5D44OYyymUvDgEi4Vaw!2e0!7i13312!8i6656

sexta-feira, 19 de julho de 2019

CONCURSO Director@ Executivo@ da ATN até 31 de Julho

“Ainda não encontrámos a pessoa certa para Director@ Executivo@ da ATNatureza, pelo que, até ao fim do mês reabrimos o concurso para este cargo”

Funções/Responsabilidades
1) Gestão da organização – o diretor irá coordenar todas as ações relacionadas com a gestão operacional da organização, cumprindo o programa estratégico plurianual do Conselho Diretivo da ATNatureza. Estas tarefas incluem o planeamento de atividades, a sua execução e acompanhamento permanente, a supervisão da equipa, a elaboração de relatórios de execução, a avaliação das atividades e a articulação com a Direcção. O/a Diretor/a será responsável pela elaboração de cada plano anual de atividades e respetivo relatório final.
2) Gestão administrativa e financeira – O/a Diretor/a irá supervisionar todos os assuntos administrativos e financeiros, baseando-se no plano anual e orçamento aprovados. Fará o acompanhamento da execução orçamental da associação, através da ferramenta de avaliação/execução de cash-flow, coordenando a contabilidade, informando e apoiando a Direção nas decisões administrativas e financeiras. Irá definir e implementar os sistemas de medidas e controlo que permitam realizar o seguimento dos objetivos-chave, realização de relatórios e tomada de medidas corretivas quando necessário.
3) Angariação de fundos e Sustentabilidade – O/a Diretor/a promoverá os necessários contactos e iniciativas para a angariação de financiamentos, nomeadamente: donativos e doações, prestação de serviços, subsídios, vendas, pagamento de quotas.
4) Gestão Operacional do projeto Faia Brava e EPNs – O/a Diretor/a será o responsável pela gestão operacional dos Espaços para a Natureza, através de implementação dos planos de gestão de cada uma das áreas.
5) Projetos de Conservação da Natureza – Com o apoio da Direção, o/a Diretor/a irá apoiar o departamento de projetos no desenho e execução dos mesmos.
6) Recursos Humanos – O/a Diretor/a ficará responsável pela gestão da equipa da ATNatureza, supervisionando e apoiando a execução das suas agendas de trabalho, promovendo a formação técnico-profissional, assegurando um modelo anual de avaliação de desempenho. Deverá acompanhar as equipas de trabalho para verificar que se estão a cumprir os objetivos definidos.
7) Comunicação e relações públicas — O/a Diretor/a assegurará a representação da organização e garantirá que a missão e o projecto Faia Brava e EPNs sejam apresentados aos sócios, à sociedade e aos principais “stakeholders”.
8) Planeamento estratégico – O Coordenador irá elaborar em 2019 o plano estratégico de gestão da Faia Brava e EPNs para 2020-2030.
Perfil
Procuramos alguém com as seguintes características:
- Gosto pela conservação da natureza: estamos à procura de alguém enérgico, positivo e inspirador que tenha paixão ou gosto pelo tema da conservação da natureza e proteção do ambiente, com capacidade para encontrar soluções em matéria de conservação da natureza.
- Formação técnica: tenha grau académico, preferencialmente na área da Ecologia/ Biologia/Recursos Naturais/Floresta/Ambiente.
- Experiência profissional: com pelo menos 5 anos de experiência profissional a gerir equipas e/ou organizações, idealmente organizações na área da conservação para a natureza.
- Conhecimentos de gestão estratégica: que saiba gerir uma organização, em todas as suas vertentes, desde o planeamento estratégico, criação de processos e procedimentos internos, avaliação de resultados e/ou impactos de projetos.
- Conhecimentos de gestão financeira: tenha conhecimentos teórico-práticos de gestão administrativa e financeira e tenha implementado esses conhecimentos na gestão de equipas/ organizações.
- Gestão de projeto: que esteja familiarizado com o ciclo de gestão de projetos e que saiba supervisionar equipas técnicas que estão a executar os mesmos.
Gestão de recursos humanos: que saiba gerir e motivar pessoas, independentemente das suas funções, e que saiba manter um elevado espírito de equipa e coesão interna.
Angariação de fundos e negóciosque tenha concebido ações de angariação de fundos variadas no contexto de uma organização, incluindo a gestão de negócios de suporte à sustentabilidade da organização.
- Comunicação escrita: tenha gosto, capacidade e facilidade de comunicação escrita, nomeadamente facilidade de redação de cartas, atas, relatórios e projetos.
- Relações públicas: tenha gosto, capacidade e facilidade para representar a Organização em eventos nacionais e internacionais, contactar pessoas e entidades para promoção de parcerias estratégicas para a organização ou seus projetos.
- Domínio de línguas: fale e escreva fluentemente em português e inglês.
Condições
- Cargo a tempo inteiro
- Contrato de 2 anos
- Entrada em Setembro de 2019
- Base salarial: a discutir.
- Local de trabalho – sede da ATNatureza - Figueira de Castelo Rodrigo (distrito de Guarda)
Procedimento
Envie a sua candidatura em português, inglês, ou espanhol, por e-mail, com uma breve apresentação (máximo 1 pág.) com CV.
A candidatura deve ser enviada ao cuidado de Sílvia Lorga (silvia.lorga@atnatureza.org) até 31 de Julho.

sexta-feira, 5 de julho de 2019

Campanha de Voluntariado - Vigilância contra Incêndios Faia Brava 2019 | Volunteer Campaign - Fire Surveillance Faia Brava 2019


A ATNatureza volta desafiar os zelantes da Natureza com um Programa de Voluntariado para a Vigilância de Incêndios Faia Brava 2019, de 15 de Julho a 15 de Setembro. 
Desta forma, a ATNatureza apela ao espírito conservacionista de todos para ajudarem na prevenção de fogos na Reserva da Faia Brava, área que, desde 2005, não arde, graças aos esforços de todos.

Para além disso, a Reserva da Faia Brava e área envolvente representam a mancha de sobreiral e azinhal mais importante do distrito da Guarda e, depois dos eventos trágicos ocorridos no último ano, a sua proteção é ainda mais preocupante e urgente.

O programa de voluntariado que apresentamos resume-se na vigilância de ocorrências de pontos de incêndios na Reserva da Faia Brava e áreas envolventes e a respectiva comunicação das mesmas às autoridades competentes e à ATNatureza.

O programa permite, no entanto, que o voluntário disfrute do território, podendo acompanhar alguns trabalhos desenvolvidos pelos técnicos da Associação ATN e disfrutar de refrescantes banhos na piscina de Algodres!

INSCREVA-SE JÁ! Ajude-nos a prevenir!

Os apoios prestados aos voluntários traduzem-se em:
- Alojamento c/ acesso à Piscina de Algodres;
- Kit Básico de Alimentação (bens não perecíveis);
- Kit de Vigilância

Aos voluntários, a ATNatureza pede que estes venham munidos de:
- Capacidade resistência ao calor;
- Chapéu e Protetor Solar
- Vestuário para banhos
- Espírito aberto;
- Saco-Cama e toalhas; 

Turnos de Vigilância:
Diário:
17h – 22h (23h em período crítico)
Fim-de-Semana:
09h – 16h
16h – 22h (23h em período crítico)

ENGLISH VERSION


ATNatureza returns to challenge Nature's zealous with a Volunteer Program  for the 2019 Faia Brava Fire Surveillance Campaign, from June 15th to September 15th.


In this way, ATNatureza appeals to the conservationist spirit of all to help in the prevention of fires in the Faia Brava Reserve, an area that, since 2005, has not burned thanks to the efforts of all.
In addition, the Faia Brava Reserve and surrounding area represent the most important overhang and azinhal spot in Guarda district and, after the tragic events that have occurred in the last year, its protection is even more worrying and urgent.
The Program we present is summarized in the surveillance of occurrences of fire points in the Reserve of Faia Brava and surrounding areas and their respective communication to the competent authorities and to ATNatureza.
The program allows the volunteer to enjoy the area, being able to follow some work developed by the technicians of the ATN Association and enjoy refreshing baths in the pool of Algodres!

REGISTER NOW! Help us to Prevent!

The support provided to volunteers includes:
- Accommodation;
- Basic Food Kit (non-perishable goods);
- Surveillance Kit

To the volunteers, ATNatureza asks that they come equipped with:
- Capacity resistance to heat

-Hat and Sunscreen
- Bathing Suits

- Open mind;
- Bag-bed and towels;

Surveillance Shifts:
Daily:
17h - 22h (23h in critical period)
Weekend:
09h - 16h
16h - 22h (23h in critical period)




terça-feira, 21 de maio de 2019

XII Curso de Identificação, Biologia e Conservação de Aves de Rapina


A Associação Transumância e Natureza, em parceria com o ICNF - Parque Natural do Douro Internacional, a SPEA, a Aldeia, o CERVAS, a ORIOLUS, o Município de Figueira de Castelo Rodrigo vão organizar a XII Edição do Curso de Identificação, Biologia e Conservação de Aves de Rapina, nos dias 21 a 23 de Junho de 2019.

O Curso intensivo pretende dar a conhecer a avifauna da região do Douro Internacional e Arribas do rio Águeda, assim como do Vale do Côa, com actividades de identificação guiadas por formadores especializados, onde poderá aprender a identificar rapinas, desde rupícolas a aves nocturnas, e participar na problemática da conservação destas espécies.

O curso conta com a presença dos formadores Carlos Pacheco, Jorge Amaral, José Jambas e Ricardo Brandão e o programa inclui uma visita à Reserva da Faia Brava, módulos teóricos intensivos que incluem identificação avançada de rapinas e mais profundidade técnico-científica sobre este grupo, três dias de observação no campo, actividades de chamamento de rapinas nocturnas, entre outras novidades.
No curso está incluído: seguro, material teórico, transporte nas saídas de campo, e utilização de material óptico – binóculos e telescópio. Há possibilidade dos participantes ficarem alojados num espaço cedido pela Câmara Municipal, sendo necessário cada participante trazer o seu saco-cama e colchonete.
O preço é de 120€ por pessoa, mas os sócios das associações ATN, e Aldeia pagam 100 €.  .As vagas são limitadas e as inscrições podem ser feitas através deste:
Mais informações contacte Silvia.lorga@atnatureza.org ou através do contacto 271 311 202


PROGRAMA

PROGRAMA 21 de Junho | 1º Dia de Curso | Sexta-feira
16h30| Receção dos Participantes (Casa da Cultura de Figueira de Castelo Rodrigo)
Módulo Teórico I
17h – 17h30| A problemática da Alimentação das Aves Necrófagas c/ Carlos Pacheco
17h30 – 18h30| Ecologia, Biologia e Conservação de Aves de Rapina Diurnas no Parque Natural do Douro Internacional c/ Jorge Amaral
18h30 – 19h30| Aves de Rapina Nocturnas c/ Ricardo Brandão
19h30 – 21h| Jantar Livre
Módulo Prático I
21h – 23h00| Observação e Chamamento de Aves de Rapina Nocturnas
(Percurso: Vale Afonsinho – Algodres – Faia Brava)

22 de Junho | 2º Dia de Curso | Sábado
Módulo Prático II
09h – 13h| Aves de Rapina de sistemas Agroflorestais
13h – 14h00| Piquenique (livre) na Capela de St.º André
14h00 – 15:15h Aves de rapina de zonas Rupícolas e Retorno a Figueira de Castelo Rodrigo
Módulo Teórico II
15:15h – 15h30| Chegada a Figueira de Castelo Rodrigo e Pausa
15h30 – 16h30| Técnicas de Observação e Identificação de Aves de Rapina + Escalada Científica c/ José Jambas
16h30 – 17h00| Os desafios no estudo e na identificação das aves de rapina no Campo c/ Carlos Pacheco
17h00 – 17:30| Vulture Conservation Foundation c/ Alice Gama
17h30 – 17h45| Pausa
17h45 – 18h30 | Técnicas de estudo, marcação e monitorização das aves de rapina c/ Carlos Pacheco
18h30 – 19h30| Identificação de Características através de Material Biológico c/ Ricardo Brandão e Carlos Pacheco
19h30| Jantar Oferecido pela Organização (inclui Quizz de identificação de fotografias)
10 de Junho | 3º Dia de Curso | Domingo Módulo Prático IV
09h30 – 13h00| Identificação de Aves de Rapina do Parque Natural do Douro Internacional 13h00 – 14h00| Piquenique (Livre) no Miradouro do Penedo Durão
15h00 – 17h30 | Observação de Aves de Rapina do Parque Natural Arribes del Duero
18h30| Chegada a Figueira de Castelo Rodrigo

segunda-feira, 6 de maio de 2019

Oferta de Emprego: Diretor/a Executivo/a


A ATNatureza está a contratar um novo/a diretor/a executivo!
Nota: Todos os CV´s enviados no anterior AVISO serão considerados neste processo de selecção.
Funções/Responsabilidades
1) Gestão da organização – o diretor irá coordenar todas as ações relacionadas com a gestão operacional da organização, cumprindo o programa estratégico plurianual do Conselho Diretivo da ATNatureza. Estas tarefas incluem o planeamento de atividades, a sua execução e acompanhamento permanente, a supervisão da equipa, a elaboração de relatórios de execução, a avaliação das atividades e a articulação com a Direcção. O/a Diretor/a será responsável pela elaboração de cada plano anual de atividades e respetivo relatório final.
2) Gestão administrativa e financeira – O/a Diretor/a irá supervisionar todos os assuntos administrativos e financeiros, baseando-se no plano anual e orçamento aprovados. Fará o acompanhamento da execução orçamental da associação, através da ferramenta de avaliação/execução de cash-flow, coordenando a contabilidade, informando e apoiando a Direção nas decisões administrativas e financeiras. Irá definir e implementar os sistemas de medidas e controlo que permitam realizar o seguimento dos objetivos-chave, realização de relatórios e tomada de medidas corretivas quando necessário.
3) Angariação de fundos e Sustentabilidade – O/a Diretor/a promoverá os necessários contactos e iniciativas para a angariação de financiamentos, nomeadamente: donativos e doações, prestação de serviços, subsídios, vendas, pagamento de quotas.
4) Gestão Operacional do projeto Faia Brava e EPNs – O/a Diretor/a será o responsável pela gestão operacional dos Espaços para a Natureza, através de implementação dos planos de gestão de cada uma das áreas.
5) Projetos de Conservação da Natureza – Com o apoio da Direção, o/a Diretor/a irá apoiar o departamento de projetos no desenho e execução dos mesmos.
6) Recursos Humanos – O/a Diretor/a ficará responsável pela gestão da equipa da ATNatureza, supervisionando e apoiando a execução das suas agendas de trabalho, promovendo a formação técnico-profissional, assegurando um modelo anual de avaliação de desempenho. Deverá acompanhar as equipas de trabalho para verificar que se estão a cumprir os objetivos definidos.
7) Comunicação e relações públicas — O/a Diretor/a assegurará a representação da organização e garantirá que a missão e o projecto Faia Brava e EPNs sejam apresentados aos sócios, à sociedade e aos principais “stakeholders”.
8) Planeamento estratégico – O Coordenador irá elaborar em 2019 o plano estratégico de gestão da Faia Brava e EPNs para 2020-2030.
Perfil
Procuramos alguém com as seguintes características:
- Gosto pela conservação da natureza: estamos à procura de alguém enérgico, positivo e inspirador que tenha paixão ou gosto pelo tema da conservação da natureza e proteção do ambiente, com capacidade para encontrar soluções em matéria de conservação da natureza.
- Formação técnica: tenha grau académico, preferencialmente na área da Ecologia/ Biologia/Recursos Naturais/Floresta/Ambiente.
- Experiência profissional: com pelo menos 5 anos de experiência profissional a gerir equipas e/ou organizações, idealmente organizações na área da conservação para a natureza.
- Conhecimentos de gestão estratégica: que saiba gerir uma organização, em todas as suas vertentes, desde o planeamento estratégico, criação de processos e procedimentos internos, avaliação de resultados e/ou impactos de projetos.
- Conhecimentos de gestão financeira: tenha conhecimentos teórico-práticos de gestão administrativa e financeira e tenha implementado esses conhecimentos na gestão de equipas/ organizações.
- Gestão de projeto: que esteja familiarizado com o ciclo de gestão de projetos e que saiba supervisionar equipas técnicas que estão a executar os mesmos.
- Gestão de recursos humanos: que saiba gerir e motivar pessoas, independentemente das suas funções, e que saiba manter um elevado espírito de equipa e coesão interna.
- Angariação de fundos e negócios: que tenha concebido ações de angariação de fundos variadas no contexto de uma organização, incluindo a gestão de negócios de suporte à sustentabilidade da organização.
- Comunicação escrita: tenha gosto, capacidade e facilidade de comunicação escrita, nomeadamente facilidade de redação de cartas, atas, relatórios e projetos.
- Relações públicas: tenha gosto, capacidade e facilidade para representar a Organização em eventos nacionais e internacionais, contactar pessoas e entidades para promoção de parcerias estratégicas para a organização ou seus projetos.
- Domínio de línguas: fale e escreva fluentemente em português e inglês.
Condições
- Cargo a tempo inteiro
- Contrato de 2 anos
- Entrada em junho de 2019
- Base salarial: a discutir.
- Local de trabalho – sede da ATNatureza - Figueira de Castelo Rodrigo (distrito de Guarda)
Procedimento
Envie a sua candidatura em português, inglês, ou espanhol, por e-mail, com uma breve apresentação (máximo 1 pág.) com CV.
A candidatura deve ser enviada ao cuidado de Sílvia Lorga (silvia.lorga@atnatureza.org) até 15 de maio.

quinta-feira, 10 de janeiro de 2019

Rupis: Oficina de Formação Creditada para Professores "Educação Ambiental nas Arribas do Douro"

Oficina de Formação "Educação Ambiental nas Arribas do Douro: preparando o pós-Life Rupis"

Esta ação de formação, no âmbito do Life Rupis em parceria com o Centro de Formação da Ordem dos Biólogos, pretende contribuir para o desenvolvimento sustentável local e para a formação cidadã dos jovens em idade escolar. Importa dar continuidade ao trabalho desenvolvido, munindo os professores de ferramentas e conhecimentos para a realização de atividades pós-projecto, a desenvolver no âmbito das disciplinas de Ciências Naturais, Biologia e Geologia, entre outras. 

Formadora responsável: Teresa Brito

Dias e locais:
- 26 de Janeiro de 2019 | 10h às 17h30 - Agrupamento de Escolas de Mogadouro
- 09 de Fevereiro de 2019 | 10h às 17h30 - Plataforma de Ciência Aberta (Barca d’Alva – Figueira de Castelo Rodrigo)
- 04 de Maio de 2019 das 10h às 16h - Casa del Parque Natural Arribes del Duero - Fermoselle (Zamora, Espanha) 

Programa detalhado: abrir link




Público-alvo: Professores dos Ensinos Básico e Secundário. Número de formandos: máx. 20.

Inscrições: gratuitas mas obrigatórias. Até 23 Janeiro, através deste formulário.

Contactos para mais informações: vanessa.oliveira@spea.pt  

Agendas "Faia Brava" - Campanha de Ano Novo | "Faia Brava" Diary - New Year Campaign

Não se esqueça de nada em 2019, principalmente da Natureza e participe na nossa Campanha!

Torne-se sócio da ATNatureza e adquira uma agenda "Faia Brava", de cortiça portuguesa, por metade do preço!!

Comece o ano da melhor forma e faça da Natureza a sua primeira resolução! Seja sócio da ATNatureza (quota anual: 20€) e, para além das vantagens associadas e do seu apoio à Natureza, adquira uma Agenda Faia Brava, de cortiça nacional, com 50% de desconto (preço final: 10€).

Aproveite, esta campanha é limitada aos primeiros dez interessados!





ENGLISH VERSION


Do not forget anything in 2019, Nature especially and participate in our Campaign!

Become a member of ATNatureza and get a "Faia Brava" Portuguese National Handmade Cork Diary for half the price !!

Start the year in the best way and make Nature your first resolution! Be a member of ATNatureza (annual quota: € 20) and, in addition to the associated advantages and your support for Nature, purchase a Faia Brava Diary, national cork and handmade, with a 50% discount (final price: € 10).

Enjoy, this campaign is limited to the first ten interested!




quarta-feira, 9 de janeiro de 2019

Assembleia da República discute proibição de medicamento veterinário fatal para abutres e águias | Assembly of the Republic discusses the ban on veterinary medicine, fatal to vultures and eagles

Comercialização de diclofenac para uso pecuário está a aguardar autorização pelo Governo Português e se for aprovada pode colocar em risco várias populações de aves ameaçadas em Portugal.

A Assembleia da República vai discutir, no próximo dia 10, duas propostas de projeto de Lei, submetidas pelo Partido Ecologista Os Verdes (Projeto de Lei n.º 885/XIII/3.ª) e pelo PAN - Pessoas, Animais e Natureza (Projeto de Lei n.º 1056/XIII/4.ª), no sentido de proibir a comercialização e uso em Portugal de medicamentos veterinários que utilizem na sua formulação o diclofenac. Caso esta substância – à qual existem alternativas seguras – seja autorizada e utilizada em Portugal, terá um impacto potencialmente devastador em várias espécies protegidas de aves necrófagas e também nos ecossistemas onde desempenham um importante papel de controlo de doenças.
Grifo (Gyps fulvus) | por: Fernando Romão
O diclofenac, que na pecuária é usado essencialmente como anti-inflamatório e analgésico, foi responsável pelo declínio dramático e abrupto dos abutres do sub-continente Indiano, que quase os levou à extinção. 

Em Portugal, a Direção-Geral de Alimentação e Veterinária (DGAV) está atualmente a avaliar um pedido de autorização de comercialização de um medicamento veterinário para uso pecuário contendo diclofenac.
Britango ou abutre-do-Egipto (Neophron percnopterus) | por: Fernando Romão
As Organizações Não-Governamentais de Ambiente (ONGAs) portuguesas consideram que, face ao melhor conhecimento científico existente e, respeitando o princípio da precaução, o pedido de comercialização não pode ser aprovado e, a comercialização e uso destes medicamentos deve ser definitivamente proibida, evitando o consumar de um risco real, iminente e crítico para a conservação de várias espécies protegidas em Portugal.

De salientar, ainda, a existência de várias alternativas eficazes a este fármaco que têm muito menor impacto nas aves, pelo que o tratamento dos animais domésticos é perfeitamente possível sem recorrer ao uso do diclofenac e pôr em risco os ecossistemas nacionais.

Desde 2014 que ONGAs nacionais e internacionais têm vindo a alertar as autoridades competentes para os possíveis impactos deste medicamento sobre as aves necrófagas (abutres e algumas espécies de águias), tendo apelado ao Governo Português para que não autorize a utilização desta substância em território nacional ao nível da pecuária. 

No seguimento destas preocupações, a Assembleia da República aprovou em abril de 2018 o Projeto de Resolução 1433/XIII apresentado pelo PAN, que recomenda ao Governo Português que não autorize a comercialização de medicamentos veterinários com diclofenac. 

De acordo com a ampla informação científica existente e como referem os alertas já feitos por diversas organizações nacionais e internacionais, o diclofenac pode persistir em concentrações letais numa carcaça até sete dias depois da morte do animal. Quando abutres, águias, ou outros animais necrófagos se alimentam dessa carcaça, ingerem também o diclofenac. 

Em abutres do género Gyps (como o grifo) e em algumas espécies de águia do género Aquila, a substância provoca insuficiência renal aguda que rapidamente leva à morte. Na Índia, bastou que menos de 1% das carcaças disponíveis para os abutres tivessem sido tratadas com diclofenac para causar a redução das populações de três espécies de abutres em mais de 97%, o que levou a que este fármaco tenha sido banido no subcontinente indiano no ano de 2006. Daí para cá tem-se registado uma notável recuperação das populações indianas de abutres.

Grifos (Gyps fulvus) | por: Fernando Romão
Portugal possui importantes populações de abutres e de grandes águias com hábitos necrófagos: o abutre-preto (Aegypius monachus), o britango (Neophron percnopterus), o grifo (Gyps fulvus), a águia-imperial-ibérica (Aquila adalberti) e a águia-real (Aquila chrysaetos). Os abutres em particular desempenham um papel único nos nossos ecossistemas, limpando as nossas paisagens de cadáveres de animais mortos, e por isso limitando a transmissão de doenças.  A maioria destas espécies tem efetivos muito reduzidos, tendo algumas delas estatutos de conservação muito desfavoráveis em Portugal e no resto do mundo. E todas elas estão protegidas por lei em Portugal e na Europa. Tendo em conta os potenciais impactos do diclofenac nestas espécies, os seus hábitos alimentares e a suas reduzidas populações, caso o diclofenac seja autorizado e utilizado em Portugal, terá um impacto potencialmente devastador nestas aves e também nos ecossistemas onde ocorrem, em consequência do seu importante papel ecológico.
A autorização do diclofenac em Portugal para uso pecuário poderá também colocar em causa de forma irremediável o compromisso e esforço nacionais de conservação das aves necrófagas, desperdiçando uma oportunidade de o Estado Português reiterar o seu empenho relativamente aos objetivos de conservação da natureza e sustentabilidade ambiental a nível nacional e da União Europeia.
Recorde-se que a Convenção Sobre a Conservação de Espécies Migradoras da Fauna Selvagem (CMS ou Convenção de Bona), adotou uma resolução na Conferência das Partes em 2014 (Resolução 11.15 da COP11 da CMS), com o voto favorável de Portugal, que inclui a recomendação legislativa de “proibir o uso do diclofenac veterinário para o tratamento pecuário e substitui-lo por alternativas seguras e já disponíveis, tais como o meloxicam”.
A União Internacional para Conservação da Natureza (UICN) aprovou também uma moção no âmbito do Congresso Mundial de Conservação realizado em setembro de 2016, em que “Apela aos Governos que implementem urgentemente as recomendações da resolução 11.15 da CMS”, incluindo a referente à proibição do uso do diclofenac veterinário.
O Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), parceiro nos vários projetos de conservação de aves necrófagas em Portugal, reconheceu já a sua preocupação face à potencial utilização do diclofenac ao nível da pecuária, assim como os riscos que daí advêm para a conservação das populações nacionais de aves necrófagas. A preocupação de todas as organizações envolvidas na preservação destas espécies está evidente na proposta de Plano Nacional para a Conservação das Aves Necrófagas em Portugal, que aguarda ainda aprovação final e implementação.
As organizações subscritoras ficam na expectativa de que as propostas em discussão no dia 10 sejam aprovadas na Assembleia da República, fazendo deste dia um marco positivo para as aves, ecossistemas e saúde pública nacional.
Por: SPEA

ENGLISH VERSION

Commercialization of diclofenac for livestock use is awaiting authorization by the Portuguese Government and if approved may endanger several endangered bird populations in Portugal.

The Assembly of the Republic will discuss, on October 10th, two draft bills, submitted by the Greens Ecologist Party (Bill 885 / XIII / 3) and by the PAN - People, Animals and Nature ( Law no. 1056 / XIII / 4), in order to prohibit the marketing and use in Portugal of veterinary medicinal products that use diclofenac in its formulation. If this substance - to which there are safe alternatives - is authorized and used in Portugal, it will have a potentially devastating impact on a number of protected species of necrophagous birds and also on ecosystems where they play an important role in disease control.

Griffon Vultures (Gyps fulvus) | por: Fernando Romão
Diclofenac, which is essentially used, is livestock, as an anti-inflammatory and analgesic, was responsible for the dramatic and abrupt decline of the vultures of the Indian subcontinent, which almost led to extinction.

In Portugal, the Directorate-General for Food and Veterinary (DGAV) is currently evaluating an application for marketing authorization for a veterinary medicinal product for livestock use, containing diclofenac.

The Portuguese Environmental Non-Governmental Organizations (ONGAs) consider that, in the light of the best available scientific knowledge and in compliance with the precautionary principle, the marketing application cannot be approved and the marketing and use of these medicinal products should be definitively prohibited, avoiding the consummation of a real, imminent and critical risk for the conservation of several protected species in Portugal.

It should also be noted that there are several effective alternatives to this drug, which have a much lower impact on birds, so the treatment of domestic animals is perfectly possible without the use of diclofenac and endangering national ecosystems.

Since 2014, national and international ONGAs have been alerting the competent authorities to the possible impacts of this medicine on necrophagous birds (vultures and some species of eagles) and have appealed to the Portuguese Government not to authorize the use of this substance in the national territory for livestock.

Following these concerns, the Assembly of the Republic approved in April's 2018 the Draft Resolution 1433 / XIII presented by the PAN, which recommends to the Portuguese Government not to authorize the marketing of veterinary medicines with diclofenac.

According to the extensive scientific information available and as reported by several national and international organizations, diclofenac may persist in lethal concentrations in a carcass until seven days after the death of the animal. When vultures, eagles, or other scavengers feed on this carcass, they also ingest diclofenac. 

In genus Gyps Vultures (like griffon vultures) and in some genus Aquila of eagle species, the substance causes an acute renal failure that quickly leads to death. In India, it was enough that less than 1% of the carcasses available to the vultures had been treated with diclofenac to reduce populations of three species of vultures by more than 97 percent, which led to the ban on the Indian subcontinent in 2006. There has been a notable recovery in the Indian vulture populations since then.

Portugal has important populations of vultures and large eagles with necrophagous habits: the black vulture (Aegypius monachus), the Egyptian-vulture (Neophron percnopterus), the griffon vulture (Gyps fulvus), the Iberian imperial eagle (Aquila adalberti) and the eagle -real (Aquila chrysaetos). Vultures, in particular, play a unique role in our ecosystems, clearing our landscapes of dead animal carcasses, and thereby limiting the transmission of diseases. 

Most of these species have very small numbers, some of which have very poor conservation status in Portugal and the rest of the world. And all of them are protected by law in Portugal and Europe. Given the potential impacts of diclofenac on these species, their eating habits and reduced populations, if diclofenac is authorized and used in Portugal, will have a potentially devastating impact on these birds and also on the ecosystems where they occur as a consequence of their important ecological paper.

The authorization of diclofenac in Portugal for livestock use may also irreversibly jeopardize the national commitment and effort to preserve necrophagous birds, thus wasting an opportunity for the Portuguese State to reiterate its commitment to the objectives of nature conservation and environmental sustainability at a national and European Union level.

It is recalled that the Convention on the Conservation of Migratory Species of Wild Fauna (CMS or the Bonn Convention) adopted a resolution at the Conference of the Parties in 2014 (Resolution 11.15 of CMS COP11), with the favorable vote of Portugal, which includes the legislative recommendation "to prohibit the use of veterinary diclofenac for livestock treatment and to replace it with safe and available alternatives such as meloxicam".

The International Union for Conservation of Nature (IUCN) also approved a motion within the World Conservation Congress held in September 2016, which "Urges Governments to urgently implement the recommendations of CMS resolution 11.15," including the ban the use of veterinary diclofenac.

The Institute for Conservation of Nature and Forests (ICNF), a partner in the various projects for the conservation of necrophagous birds in Portugal, has already acknowledged its concern regarding the potential use of diclofenac in livestock farming, as well as the risks that stem from it to the conservation of national populations of necrophagous birds. The concern of all the organizations involved in the preservation of these species is evident in the proposal of the National Plan for the Preservation of Necrophagous Birds in Portugal, which is still awaiting final approval and implementation.

The signatory organizations are hoping that these proposals, on the January 10th, would be approved in the Assembly of the Republic, making this a positive milestone for birds, ecosystems and national public health.
By: SPEA